Igreja Adventista constrói templo dentro de presídio no Maranhão

Igreja é construída dentro de presídio no Maranhão

0
Igreja Adventista constrói templo dentro de presídio no Maranhão
Igreja Adventista constrói templo dentro de presídio no Maranhão

O templo da igreja adventista que fica anexo ao presídio de Bacabal, na região sul do Maranhão, foi inaugurada na manhã do dia 17 de setembro.

O pastor responsável pela congregação, Caio Campos, afirma que tanto a direção da penitenciária quanto os internos estão maravilhados com o trabalho realizado ali.

Um dos resultados é que os incidentes são quase inexistentes, o que levou aquela unidade a ocupar o segundo lugar no ranking de prisões mais tranquilas do Estado.

Durante a celebração, o pastor Erton Köhler, presidente da Igreja Adventista para oito países sul-americanos, destacou a força dos adventistas e seu empenho em salvar. “Estamos seguindo no rumo certo. Precisamos ir aonde Deus mandar. Ele fará a obra de conversão”, afirmou. Complementando, o pastor Leonino Santiago, que dirige a Igreja no Norte do Brasil, reiterou que “ela existe para salvar e essa salvação está entrando em locais antes impossíveis.”

Na cerimônia, mais 12 detentos disseram publicamente, através do batismo, que hoje são livres. Em Bacabal, o projeto Caravana da Esperança realiza um trabalho evangelístico no presídio aos domingos, desde 2014. No total, 92 detentos já foram batizados. Desses, cerca de 50 ainda cumprem pena, e os outros estão em liberdade e participam ativamente na igreja local.

Influência

“Os projetos desenvolvidos pela Caravana da Esperança foram fundamentais para que as portas fossem abertas para nós. Dentro do grupo temos ex-detentos que agora pregam a Palavra que um dia os transformou”, destaca Campos.

José Pereira Sousa Junior tinha um bar e se envolveu com a venda de drogas. Foi na prisão que ele conheceu a mensagem de esperança apresentada pela Igreja Adventista. A partir daí sua vida começou a mudar. Poucos dias após seu batismo, foi posto em liberdade depois de permanecer oito meses em cárcere.

Casado e pai de dois filhos, hoje ele trabalha como  mototaxista e também tem sua própria lanchonete em casa. Na igreja atua como diácono, professor associado e um dos coordenadores da Caravana da Esperança.

Para ele não existe nada melhor do que falar da Palavra de Deus. “Me sinto feliz porque estou servindo. Deus fez um milagre em minha vida e me sinto na obrigação de ajudar as pessoas que passam pela mesma situação que passei”, justifica.

Para o presidente da Igreja Adventista nessa localidade, pastor Alexandre Meneses, os membros têm respondido aos apelos missionários. “A igreja é forte nessa região e tem ampliado o evangelho por onde passa. Estamos felizes e comprometidos”, completa.(*informações / noticias.adventistas.org)

Deixe uma resposta