Famoso Padre exorcista da Igreja Católica morre aos 91 anos

Padre mestre do exorcismo morre na Itália

0
Famoso Padre exorcista da Igreja Católica morre aos 91 anos
Famoso Padre exorcista da Igreja Católica morre aos 91 anos

Padre Gabriele Amorth, um dos exorcistas mais famoso da Igreja Católica, morreu nesta sexta-feira, aos 91 anos. O padre exorcista Gabriele morreu por complicações pulmonares, após ficar semanas internado. Segundo nota divulgada pelo Grupo Editorial San Paolo, pela qual o italiano publicou diversos livros.

Gabriele Amorth, nasceu em 1925, em Modena, e entrou para a Sociedade de São Paulo em 1947, onde foi ordenado como sacerdote em 1951 e em 1985 foi nomeado exorcista oficial da Diocese de Roma.

Ele foi um dos fundadores em 1990 da Associação Internacional de Exorcistas (AIE), organização que presidiu até sua aposentadoria, no ano 2000, e que só recentemente foi reconhecida juridicamente pelo Vaticano ao receber o sinal verde da Congregação para o Clero.

O padre Gabriele, esteve a frente do departamento de exorcismo em Roma por 25 anos, e realizado mais de 70 mil exorcismos, de acordo com o livro “Memórias de um Exorcista” de sua autoria publicado em 2010, em que narra suas batalhas contra o mal.

Padre exorcista Gabriele era considerado o mestre do ritual

Considerado o “mestre” do exorcismo, Amorth fundou a Associação Internacional dos Exorcistas em 1991, o que o fez ganhar fama internacional. A entidade, que foi reconhecida formalmente pela Igreja Católica há dois anos, reúne 250 exorcistas espalhados por mais de 30 países. Amorth chegou a viajar a diversos países para ensinar sua “técnica”.

Dom Amorth costumava receber pessoas do mundo inteiro que o buscavam para “lutar contra o demônio” e chegou a publicar obras sobre o tema. A mais famosa delas era Deus é mais belo que o diabo, que foi traduzido para inúmeros idiomas. No último dia 8 de setembro, o padre recebeu a Medalha da Libertação – uma das mais altas honrarias para aqueles que viveram e lutaram para libertar a Itália do governo fascista na época da II Guerra Mundial. (Com informações Veja / ANSA)

Deixe uma resposta