Entrevista Marco Feliciano e Patricia Lèlis no Conexão Repórter

Nada do que Patrícia Lélis diz é verdade, afirma Feliciano sobre acusação de estupro.

4

Entrevista Marco Feliciano e Patricia Lèlis no Conexão Repórter
Entrevista Marco Feliciano e Patricia Lèlis no Conexão Repórter

O pastor Marco Feliciano e Patrícia Lélis,foram entrevistados pelo jornalista Roberto Cabrini, no Conexão Repórter, do SBT neste domingo 14/08. O pastor vem sendo acusado de agressão e tentativa de estupro, pela jovem estudante de jornalismo, caso que se tornou emblemático em toda mídia e veículos de comunicação.

Na extensa reportagem do jornalista Roberto Cabrini foram mostradas imagens de câmeras de segurança que reforçam a defesa do pastor, e também as reiteradas acusações feitas por Patrícia Lélis, que voltou a afirmar que quando esteve a sós com Marco Feliciano em seu apartamento funcional em Brasília, ele o ameaçou com uma faca, e que o vestido que ela usava no dia teria marcas da arma.

A estudante afirmou que “não houve conjunção carnal” porque o crime teria sido interrompido por uma mulher que bateu à porta do apartamento do pastor ao ouvir seus gritos.

Feliciano, que finalmente concedeu uma entrevista sobre o caso, contou que esteve com a estudante em três ocasiões, sendo uma no Senado, outra em uma reunião do PSC e uma terceira em seu gabinete, na presença da mãe de Patrícia e uma amiga dela.

Questionado por Cabrini sobre o que se trata as acusações da estudante contra ele, o pastor classificou a narrativa como “fantasia, mentira, injúria, calúnia, difamação, falsa comunicação de crime”, e perguntou: “O único apartamento que tem aqui do lado é o de um outro deputado. Cadê essa mulher?”, afirmou, referindo-se à suposta testemunha da tentativa de estupro.

Sobre as alegações de Patrícia Lélis a respeito das possíveis propostas que ele teria feito a ela, Feliciano negou que tenha oferecido emprego em troca de um relacionamento extraconjugal: “É outra história fabulosa. Nunca houve esse tipo de conversa. Nunca houve esse tipo de reunião. Nunca”.

O pastor disse ainda que admitiria publicamente uma relação extraconjugal se ela tivesse acontecido: “Eu sou um pastor, tenho a minha família, minha esposa, Edileusa, tenho três filhas e inclusive a minha filha mais velha tem praticamente a idade dessa moça. Eu tenho respeito pelas famílias […] Se fosse verdade, pela minha família, pela imprensa, é claro que eu admitiria”.

A longa entrevista de quase uma hora, pode ser um grande divisor de águas trazendo revelações a tona, e esclarecendo vários pontos e fatos ainda desconhecidos, confira na íntegra toda reportagem do Conexão Repórter, pelo jornalista Roberto Cabrini, sobre o caso pastor Marco Feliciano e Patrícia Lélis.

4 COMENTÁRIOS

  1. Penso que onde há fumaça há fogo. A moça não é completamente inocente, e nem o pastor. Só uma investigação da polícia federal pode conseguir reunir mais provas pró e contra para dar uma narrativa mais confiável desse caso.

  2. Guardem isso: o fato de alguém oferecer dinheiro a um caluniador perigoso para tentar livrar um amigo inocente não significa que essa pessoa tenha algo a esconder. Alguém pode oferecer dinheiro a um acusador simplesmente por estar desesperado e por achar que não há outra maneira de sair da situação.

    No Brasil, casos de acusação perpetrados por mulheres possuem grande credibilidade e qualquer homem que seja vítima disso se sente vulnerável e sem saída.

  3. Comentário: Essa mulher e uma psicopata tem uma mente duente… Se eu fosse o pastor abria um processo contra ela sobre calunia e falsa acusacoes… Mentirosa nada e verdade

  4. esta moça me faz lembrar demais a Suzane von Richthofen , sinistra demais,fria demais , seus relator estão cheios de contradição …. não consigo imaginar o marcos feliciano com uma faca na mão obrigando ela a tirar a roupa , ela tira o vestido gritando socorro… socorro … depois ele tira suas roupas intimas … estuprador não tira ele arranca a roupa estuprador não deixa ninguem gritar a primeira coisa que o estuprador faz é dizer se vc gritar te corto a língua ..estuprador vai atender a porta quando alguém esta sendo estuprada … como ela saiu do apto fugiu e não falou com ninguém .. uma mulher quando se escapa de uma tentativa de estupro ela fica em panico e a primeira coisa que ela faz e procurar ajuda proteção ..

Deixe uma resposta