Vivendo o que se Prega

0
Vivendo o que se Prega
Vivendo o que se Prega

Muitas vezes achamos que a melhor forma de se viver é quando prestamos toda a atenção que as pessoas ao nosso redor requerem.

Eu acho muito oportuno e ético estarmos sempre atentos as necessidades que se apresentam naqueles que são os “nossos próximos de cada dia”. Porém, é bom pensar que a melhor maneira de se fazer tudo isso, e muito mais, é quando em primeiro lugar entendemos o que significa, à luz da Bíblia: “cuidar de nós mesmos”. Deixe-me explicar: É muito desagradável quando exigimos que as pessoas façam coisas que, no fundo-no-fundo, reprovamos ou pelo menos deixamos de fazê-las quando deveríamos. É a tal da coisa: “faça o que eu mando e não o que eu faço”.

Esse tipo de disciplina deforma o caráter, fere a personalidade e converte quem quer que seja, em perfeito fariseu. O apóstolo Paulo sabia muito sobre a gravidade que um senso de hipocrisia poderia gerar, tanto é que quando foi passar recomendações ao jovem Timóteo foi logo dizendo: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina, continua nestes deveres, porque fazendo assim salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes. “1 Tm. 4:16. Paulo queria que, em primeiro lugar, Timóteo cuidasse de si mesmo, por que assim sendo, as consequências seriam agradáveis.

Hipocrisia é quando aplicamos e exigimos o cumprimento de uma lei ou um comportamento, que na prática desprezamos. Diz que o homem que criou a sinalização para as linhas férreas, morreu atropelado numa passagem de nível. Não fez questão do seu famoso e recomendado: PARE, OLHE E ESCUTE. Sua ideia foi maravilhosa, mas ele mesmo não fez questão de observá-la como deveria. Pagou com a vida. Outro dia vi numa revista um fato interessante que dizia sobre um policial americano que multou a si mesmo ao cometer uma infração de trânsito. Quanta virtude haveria em nós se esta postura fizesse parte de nossa devoção? Você já imaginou o quanto é sério ficarmos exigindo que o fulano tire o mosquito do olho, enquanto que no nosso pode estar um elefante?

Cuida de ti mesmo! Jesus enquanto esteve por aqui em pessoa, demonstrou poder e autoridade diante de todos os poderes da terra e do inferno. O diabo quando veio até Jesus viu que nele não havia nada que lhe pertencesse. “Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo, e ele nada tem em mim”.(João 14:30) Por quê Jesus pôde dizer assim? Simplesmente, porque Ele vivia o que pregava e pregava o que vivia. Não foi um túmulo caiado ou um simulador de santidade, mas provou que era e que é possível ser uma fortaleza que apresenta Deus em todos os modos que a vida requer. Jesus não fez muita coisa para atingir o necessário; fez apenas o necessário para se atingir muita coisa.

Para que o bambu seja aproveitado como canal propício ao fluir da água, é preciso que o seus nós – aqueles bloqueios internos – sejam eliminados. Podemos realizar a obra de Deus muito mais: sendo do que fazendo. É preciso que todos os bloqueios do nosso interior sejam queimados até as raízes. Assim o poder das maquiagens do fingimento ou as caricaturas da religiosidade, sejam valores inoperantes no nosso dia-a-dia. Assim o mundo verá que: por cuidarmos de nós mesmos, cuidamos bem de todos. Quem adora ao Pai em Espírito e em verdade é porque, também vive, diante dos homens em Espírito e em verdade.

Vivamos em Paz: Perdão Amor e Zelo.

Pr.Wilson Thinonin

Deixe uma resposta