Debate da Igreja Católica traz temas polêmicos – Aborto, Drogas, Casamento Gay

1
Debate da Igreja Católica traz temas polêmicos - Aborto, Drogas, Casamento Gay
Debate da Igreja Católica traz temas polêmicos – Aborto, Drogas, Casamento Gay

Debate da Igreja Católica traz temas polêmicos – Aborto, Drogas, Casamento Gay. O debate promovido pela Igreja Católica, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e exibido pela TV Aparecida na noite desta terça-feira (16), teve como alvo temas polêmicos como aborto, descriminalização do uso das drogas, casamento entre pessoas do mesmo sexo e homofobia.

Contudo, o formato do debate, baseado em sorteio, mesmo no bloco de confronto entre os adversários, evitou que esses temas fossem discutidos ou confrontados pelos três concorrentes mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto, Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB).

Dom João Carlos Petrini perguntou a Levy Fidelix sobre “o processo de desvalorização da família, formada por pai, mãe e filhos”.

O candidato aproveitou a senha para declarar-se contra o casamento entre pessoas nascidas com o mesmo sexo. “Os maus exemplos são uma questão crucial, a união homoafetiva destrói a família. Isso é terrível”, disse.

À socialista Luciana Genro, coube responder sobre como veria – caso fosse eleita – a relação entre Estado e religião.

“Digo com muita sinceridade que não sou uma pessoa religiosa, mas respeito todas as religiões. Não vou me converter como muitos candidatos fazem por oportunismo. O Estado laico é importante para assegurar os direitos de todas as religiões e de quem não tem religião. Sou a favor da união civil entre homossexuais. Precisamos combater a homofobia, o racismo e a transfobia”, respondeu.

A posição da candidata, que junto a Eduardo Jorge costuma repercutir muito nas redes sociais, rendeu críticas e elogios.

O médico Eduardo Jorge voltou a defender o aborto, após ser questionado por um jornalista católico.

“Não se pode deixar abandonadas 800 mil mulheres que fazem abortos no Brasil. É preciso revogar essa lei atual, criminosa e machista, que deixa mulheres morrerem e transforma elas em criminosas, mulheres que muitas vezes são católicas e evangélicas.”

Questionado sobre a regulamentação da maconha para consumo e uso medicional, o estreante em debates com presidenciáveis nestas eleições, Eymael, chegou a gritar.

“Totalmente contra. A democracia é totalmente contra a descriminalização das drogas e da maconha. A juventude é assassinada pelas drogas e armas que entram pelas fronteiras desguarnecidas desse país. A função das Forças Armadas é defender as fronteiras deste país, impedindo a entrada de drogas e armas.”

Aécio Neves precisou responder à seguinte pergunta: “Se eleito, o senhor deve aprovar o projeto de lei que prevê a criminalização da homofobia?”

“É preciso que fique claro que qualquer tipo de discriminação seja tratada como crime. Inclusive a homofobia. Essa discussão tramita no Congresso há muito tempo. Nossa posição é a seguinte: há uma resolução do STF que já é realidade, isso é pagina virada. Essa é nossa posição, bem clara, diferente de outras candidatas. O que precisamos é definir se a PL122 é o instrumento adequado, ou se encontraremos outro texto.”

Dilma Rousseff foi poupada de temas polêmicos entre religiosos.

Questionada pelo bispo Dom Guilherme Werlang, a atual presidente falou sobre redução da pobreza. Depois apresentou suas propostas sobre saúde, questionada por um jornalista.

No final do evento, o presidente da CNBB e cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, disse que o balanço final do evento foi muito positivo, pois muitos temas foram discutidos e o eleitor poderá escolher melhor seu candidato. Além disso, ele destacou o compromisso dos candidatos em realizar a reforma política, uma das bandeiras da CNBB.

*Informações: Conteúdo Portal a Tarde UOL / BBC Brasil

1 COMENTÁRIO

  1. gostaria de ouvir um candidato que tivesse a coragem de prometer solução para as coisas mais escenciais que a maior parte dos brasileiros quer ver:segurança, saude, educação, redução da moior idade,leique valorise a policia para que quando a policia prender a justiça segure, o crime tanto no flagante como no futuro deve ser o mesmo,e corrupção essa praga que destroi grande parte das riquezas que a nação arrecada dos seus contribuintes e trabalhadores em geral.

Deixe uma resposta