Plebiscito sobre casamento gay é aprovado por comissão de Feliciano

4
Plebiscito sobre casamento gay é aprovado por comissão de Feliciano
Plebiscito sobre casamento gay é aprovado por comissão de Feliciano

Plebiscito sobre casamento gay é aprovado por comissão de Feliciano –  A Comissão de Direitos Humanos (CDH), presidida pelo Deputado Marco Feliciano (PSC), aprovou nesta quarta-feira a convocação de um plebiscito sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo.

Também foi aprovada uma proposta para suspender a decisão do CNJ que obriga cartórios a registrarem casamentos de homossexuais. As duas propostas foram aprovadas em votação unânime.

A matéria que dispõe sobre o plebiscito, cuja pergunta é “Você é a favor ou contra a união civil de pessoas do mesmo sexo?”, seguirá para análise da Comissão de Finanças e Tributação e depois para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Já a que susta a decisão do CNJ vai para a CCJ.

A primeira proposta é de autoria do deputado André Zacharow (PMDB-PR). O parlamentar argumenta no texto que, “ainda que se tente pacificar a questão mediante uma reforma constitucional ou infraconstitucional congressual, sem a consulta popular será inútil” deliberar sobre a união entre pessoas do mesmo sexo, e “apenas se acirrará os ânimos divergentes”.

Já a outra proposta aprovada representa uma segunda tentativa da bancada evangélica de suspender a determinação do CNJ. Logo após o CNJ ter aprovado a resolução que veda às autoridades competentes “a recusa de habilitação, celebração de casamento civil ou de conversão de união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo”, o PSC, partido do deputado Marcos Feliciano (SP), presidente da CDH, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a decisão. O ministro Luiz Fux arquivou a ação.

O deputado Arolde de Oliveira (PSD-RJ), autor da proposta aprovada hoje na CDH, argumenta que o CNJ “extrapolou suas competências” e “usurpa a competência constitucional do Congresso Nacional” de elaborar leis.

A CDH também rejeitou nesta quarta-feira o projeto que inclui na situação de dependente, para fins previdenciários, o companheiro homossexual do segurado do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

Com informações: Veja / Marcela Mattos

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Pastor Feliciano,
    Graças a Deus pela sua vida e pela sua coragem, uma vez que estamos em um País que se diz laico mas de laico não tem nada, uma vez que basta uma pessoa esperta se projetar nacionalmente que até os cristãos ficam em dúvida. Mas, ainda existem aqueles que ficam firmes em seus pensamentos. Sou brasileira, cristã, cumpridora dos meus deveres e não admito que as pessoas digam o que devo ou não fazer, e uma das coisas públicas é o que podemos ou não falar. No que pertine à admissão de uma pessoa em nossas igrejas que não partilhem do pensamento e da crença daquele grupo, é ingênuo pensar isso pois é comezinho (banal) demais. Para aqueles que não sabem que uma Igreja Evangélica como qualquer outra religião para que ela exista juridicamente precisa ter um CNPJ, logo é uma Instituição com Estatuto e regras a serem seguidas. Causa espécie que as pessoas que ficam dizendo “… vou entrar nesta ou naquela igreja e vou me comportar do meu jeito”, isso não é verdadeiro, uma vez que existe nas reuniões das igrejas evangélicas decisões administrativas. Portanto, para os incautos, diga-se antes de falar que essas pessoas leiam, se informem para que não dêm recibo de ignorância sobre esses ou qualquer assunto. Para nós que cremos na Bíblia e fazemos parte de uma igreja evangélica não temos o que temer, pois Cristo está na frente. E, para o Pastor Feliciano eu digo, Deus é contigo. Tenha um feliz ano novo e Deus frutifique seu ministério mais e mais. Sou feliz por ouvi-lo de vez em quando. E, quando você decidir se candidatar à Presidência da República, eu serei uma das pessoas que trabalharei muito, assim como o fiz quando Lula era candidato, sem pretender nada, sem nada pedir, apenas por acreditar que era o melhor para o Brasil, e hoje creio que Deus pode levantar quem Ele quiser para dirigir o Brasil.
    Para os cristãos que dizem que política não é para cristão, eu pergunto cristão não é cidadão? cristão não trabalha? Não contribui com seus impostos? Não é um ser pensante? Ao contrário, o País precisa de cidadãos com caráter e mão forte para trabalhar na política…

  2. Concordo com o FELICIANO.

    PLEBISCITO JÁ. TEM QUE PERGUNTAR PARA A SOCIEDADE SE QUEREM QUE ESTA PLC 122 SEM VERGONHA SEJA APROVADA. ELES NÃO PODEM APROVAR ISSO SEM PERGUNTAR PARA AS FAMILIAS.

  3. eu tanbem nao aprovo o casamento do mesmo sexo onde vamos para eu acho que essas pessoas pensa que Deus nao existe queren passa por cima da lei da natureza isso e uma vergonha marcos feliciano o brasil presisa de homem de coragem vc me representa est esperando vc sai a canidato a presidente desse pais sem moral vamos faz a diferença

Deixe uma resposta