Encontro evangelístico reúne 25 mil cristãos no Egito

0
Encontro evangelístico reúne 25 mil cristãos no Egito
Encontro evangelístico reúne 25 mil cristãos no Egito

Sem temer o risco de perseguição violenta, cristãos no Egito realizam encontro com a presença de 25 mil participantes ao norte do Cairo. Os cristãos são mais de 10 milhões de pessoas no Egito.

O evento “Count it right”, foi realizado neste fim de semana no Egito, onde milhares de cristãos se reuniram durante três dias, apesar da possibilidade real do perigo de perseguição. Um ataque por fundamentalistas islâmicos era temido, mas aparentemente nada aconteceu (na verdade, nada foi relatado após o evento). Nenhum incidente relatado pela imprensa local.

O encontro foi realizado a 112 quilômetros ao norte do Cairo, e era esperado um publico de cerca 25 mil pessoas. Durante o evento, mais de mil trabalhadores, pregadores e voluntários cristãos participaram dos cultos e nas atividades ao longo do dia. Os participantes também puderam participar de eventos esportivos, uma galeria de arte e de obras de teatro planejado para compartilhar o Evangelho de uma maneira criativa.

O ministério cristão Portas Abertas (que não tem nenhuma ligação com o evento), classificou o Egito com o número 25 de sua lista global, entre os 50 países que mais perseguem os cristãos.

No entanto, segundo a Portas Abertas, a igreja evangélica continua crescendo em meio a enorme opressão. Atualmente os cristãos representam de 10 a 12 milhões de pessoas no território egípcio, embora os números exatos sejam desconhecidos, pois muitos vivem em áreas rurais, que não foram incluídos nos dados da contagem do censo, acredita-se que a minoria cristã no Egito é o maior do Oriente Médio.

O Espírito Santo está trabalhando poderosamente no Egito“, disse Jerry Dykstra, diretor de relações de comunicação da Portas Abertas. “Há avivamento e muitas conversões a Cristo. Sim, há muitos perigos para os cristãos, especialmente os extremistas da Irmandade Muçulmana. Mas durante décadas temos visto que em tempos de grande perseguição, o Evangelho é pregado e as pessoas vêm ao Senhor.”.

Liberdade religiosa no Egito

De acordo com a Constituição egípcia, os cristãos são livres para praticar sua fé, mas a perseguição é generalizada, porque os extremistas muçulmanos tentam negar esses direitos desde a revolução de 2011 que derrubou o presidente Hosni Mubarak. Após o período de agitação revolucionária no país, milhares de cristãos fugiram do Egito por causa do aumento da violência , que continua até hoje.

A perseguição aos cristãos também se deve a incapacidade ou falta de vontade das forças de seguranças para darem proteção às igrejas cristãs, segundo Todd Daniels, responsável pelo Oriente Médio da organização International Christian Concern.

“Isto tem deixado muitos cristãos vulneráveis aos ataques e devido a impunidade e tem encorajado os que abusam dos cristãos”, declarou Daniels a The Christian Post. “Isto tem levado um aumento nos sequestros para pedirem resgate, em todo Egito, os ataques as igrejas, extorsões aos cristãos por grupos criminosos, entre outros abusos. Na grande maioria dois casos, a comunidade cristão tem pedido ajuda e tem ficado sem resposta”.

Com informações The Cristian Post

Deixe uma resposta