Cristãos são multados por ter Bíblia em casa

0
Cristãos são multados por ter Bíblia em casa
Cristãos são multados por ter Bíblia em casa

Os cristãos do Uzbequistão são multados por ter Bíblia em suas casas, e para realizarem cultos na igreja o governo exige autorização.

Frequentemente, a Portas Abertas escreve sobre os cristãos do Uzbequistão, que são obrigados a pagar multas caríssimas porque possuem Bíblias e livros cristãos em suas casas. Você sabia que o simples fato de um país do Ocidente enviar recursos para o pagamento de uma multa pode provocar consequências aos cristãos? Um colaborador da Portas Abertas explica o motivo

Por que as multas são aplicadas aos cristãos?

Os cristãos são multados, por exemplo, por realizar cultos “ilegais” na igreja. Para realizar um culto na igreja é preciso ter uma licença do governo. Muitas igrejas têm esperado por uma licença há anos, mas, nos últimos dez anos, nenhuma solicitação recebeu resposta afirmativa. Além disso, as igrejas que haviam recebido autorização anteriormente foram impedidas de continuar.

Os cristãos da Ásia Central, incluindo o Uzbequistão, são multados também por possuir ou distribuir Bíblias e outros materiais cristãos. Há uma lista de literatura proibida, mas, nos últimos anos, todos os livros cristãos foram proibidos. Ter uma Bíblia em casa também não é permitido. Se os cristãos falarem aos mulçumanos sobre a fé cristã ou os convidarem a ir à igreja, poderão ser multados.

Qual é o montante dessas multas?

Recentemente, os valores variam entre vinte e cem meses de salário. O salário mensal no Uzbequistão representa, em média, 76 reais.

Somente os cristãos são punidos dessa maneira?

Não, os muçulmanos e as pessoas que pertencem a outras religiões minoritárias também são confrontados com isso.

Qual é o propósito do governo ao estabelecer essas multas?

As autoridades querem intimidar e desencorajar os cristãos, porque estão com medo de sua influência. Por exemplo, o presidente do Uzbequistão tem receio de qualquer forma de extremismo e está tentando manter os cristãos sob sua supervisão, porque lhe disseram que eles podem causar “conflitos e instabilidade”.

Seria sensato países do Ocidente enviarem recursos para o pagamento de multas de um cristão perseguido na Ásia Central?

Isto é complicado. Há três anos, as multas giravam em torno de 76 reais por infração. A Portas Abertas apoiou os cristãos que não podiam levantar tal quantia, mas, como resultado, a quantidade de multas aumentou, assim como o valor de cada uma delas, algumas vezes para mais de 6 mil reais. Em média, as multas estão agora por volta de 2.300 reais por infração. Agora, são emitidas vinte e cinco vezes mais multas que há três anos. Um policial disse a um cristão que foi multado: “As pessoas que lhe deram essa literatura deveriam simplesmente pagar a multa. Basta pedir que façam isso!”.

Então, pagar a multa cria novos problemas. Agora, a Portas Abertas tem levantado advogados, que estão se organizando para que os cristãos possam pagar as multas em prestações mensais. Esta estratégia funcionou, mas percebe-se também que a polícia vai à casa de cristãos e confisca todos os seus bens. Estamos considerando, em cada caso, como podemos ajudar mais irmãos prejudicados.

Portas Abertas Internacional

TraduçãoSuzana Barreto

Deixe uma resposta