Preso é espancado por reclamar de música gospel dentro de prisão em Aracaju

0
Preso é espancado por reclamar de música gospel dentro de prisão
Preso é espancado por reclamar de música gospel dentro de prisão

Preso é espancado por reclamar de música gospel dentro de prisão em Aracaju

Um preso foi espancado na carceragem da 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) de Aracaju, na tarde de segunda-feira, depois de reclamar que outros presos estavam o incomodando por cantar música gospel na cela, o que o teria provocado dores de cabeça.

Segundo o chefe da custódia da unidade, Marcos Antônio Lima, os presos costumam fazer um culto por volta das 18h, quando cantam hinos evangélicos e batem palma. “Ele (o agredido) disse que o barulho estava o deixando com dor de cabeça, e pediu para pararem com a música, o que gerou o desentendimento”, disse.

De acordo com o responsável pela custódia dos presos, após o desentendimento, Jeferson França Santos, 22 anos, levou uma pancada no rosto e teve um corte na testa. “Agimos rápido depois da confusão e não teve muito mais problema”, disse Lima.

Segundo Lima, uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado. Jeferson foi levado para o hospital João Alves, onde levou dois pontos na testa e fez uma radiografia para avaliar se tinha uma lesão mais grave. “Em duas horas e meia ele foi liberado, não teve nada mais sério”, disse o chefe da custódia da unidade.

De acordo Lima, com medo de represálias, Jeferson não identificou quem o agrediu. Por conta disso, todos os detentos da cela 3, onde ocorreu a agressão, ficarão uma semana sem visitas e banho de sol. A vítima foi transferida para outra unidade, para evitar novos desentendimentos.

Preso é espancado por reclamar de música gospel dentro de prisão em Aracaju
Preso é espancado por reclamar de música gospel dentro de prisão em Aracaju

Segundo o delegado, 1ª DM tem 41 presos, mas a capacidade é para apenas 12 detentos que deveriam ser distribuídos em quatro celas. Para o delegado, a superlotação reflete diretamente nos constantes conflitos entre os presos. “Tem gente que passa meses aqui e para fazer a verdade só um deles deveria estar detido na delegacia enquanto os outros já deveriam ter sido encaminhados para presídios, mas faltam vagas”, revela Luís Xavier.

Como punição à desobediência e agressão, os membros da cela 3 vão passar uma semana sem o banho de sol e sem a visita dos familiares que seria realizada na quinta-feira (19).

Com informações: Terra

Deixe uma resposta