Quando a paciência é provada

1
Quando a paciência é provada
Quando a paciência é provada

Quando a paciência é provada.

Sejam todos prontos para ouvir e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus. (Tiago 1:19-20).

Muitas pessoas quando se sentem ou são de fato ofendidas, afrontadas ou até agredidas por alguém não conseguem se conter e acabam por discutir, responder, xingar, brigar, bater e em casos extremos até matar, estas pessoas são aquelas que dizem: “Eu não levo desaforo para casa”, de fato com esta atitude impulsiva e descontrolada não “levam desaforo” , porém ficam desempregadas por discutir com o chefe após uma determinação em que discordava ou por ter a atenção chamada; leva a tristeza e a magoa aos corações de pessoas que as amam por conta das palavras proferidas na hora da fúria ; leva o casamento ao divórcio por não saber ouvir, entender e ceder quando preciso; leva um ministério ao fracasso; leva as pessoas a não quererem sua companhia; leva a sua própria saúde a uma desgraça, pois são atacadas pela insônia, stress, problemas estomacais, pressão alta, enxaqueca entre outros, etc… e etc…

É claro que muitas vezes a nossa paciência é posta a prova, chega no limite e nesta hora devemos contar até dez e se não for suficiente até cem, a melhor atitude que podemos ter quando somos ofendidos, afrontados, humilhados e etc. é recorrer a Deus, colocando o(a) agressor(a) e/ou ofensor(a) na presença de dELE em oração. “Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração” (Salmos 4:1). Além disto também é preciso perdoar o agressor, mesmo que na hora da raiva o coração mande odiá-lo, não se esqueça que o coração é enganoso (Provérbios 28:26), deixar de perdoar alguém independente do que tenha nos feito impedirá a ação de Deus em nossas vidas, lembre-se a decisão de perdoar parte do nosso intelecto, ou seja, da nossa parte racional, por isso para se perdoar alguém é preciso decidir perdoar e ponto. Ao colocar a pessoa que te agrediu e/ou ofendeu na presença de Deus e perdoá-la é o próprio Deus quem fará a devida justiça: “Ele faz justiça aos aflitos”. (Jó 36:6).

Deus também nos ensina através da sua palavra que devemos ser mais ouvidores do que falastrões, após ouvirmos determinadas coisas, geralmente ruins, devemos analisá-las e pensarmos muito bem antes de respondê-las, pois toda resposta, quando dada em forma de revide e contra ataque não fará mal somente a quem dissermos, mas sim e principalmente a nós mesmos, com tal atitude nos tornaremos iguais aqueles que nos ofenderam, a melhor resposta na maioria das vezes para não dizer em todas, nós encontramos em Mateus 26:63 “Jesus, porém permaneceu em silêncio”. Portanto meus amados não sejamos insensatos trazendo destruição e dor a nos mesmos com atitudes que são guiadas pela impaciência, pela raiva e pelo ódio, sejamos como o SENHOR Jesus nos sugeriu: “Não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos, apto para ensinar e paciente. Corrija com mansidão os que se lhe opõem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento…” (Timóteo 2:24-25). Se falta em nos estas características peçamos a Deus que ele nos dará: ” O que vocês pedirem em meu nome, eu farei”. (João 14:14). Que Deus lhe abençoe em o nome do SENHOR Jesus Cristo!

Autor:

1 COMENTÁRIO

  1. Grato pela mensagem sempre eus envia no tempo certo , tenho enfrentado grande humilhação, e afronta, mas esta palavra me despertou ,algo que tenho que clamar a justiça e a interferênco De Deus.

Deixe uma resposta