Pastor da Igreja Cristã Maranata se diz ameaçado após vídeo postado no Youtube

7
Pastor da Igreja Cristã Maranata se diz ameaçado após vídeo postado no Youtube
Pastor da Igreja Cristã Maranata se diz ameaçado após vídeo postado no Youtube

Pastor da Igreja Cristã Maranata se diz ameaçado após vídeo postado no Youtube. O pastor Arlínio de Oliveira Rocha, 75 anos, ex-secretário do Presbitério da Igreja Cristã Maranata (ICM) e um dos denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPES) disse que foi ameaçado por um pastor envolvido no esquema de desvio de dinheiro da igreja. A ameça foi feita depois que o ex-secretário divulgou um vídeo na internet, confirmando a prática de crimes dentro da igreja e se dizendo “inescrupulosamente usado”. O vídeo foi divulgado na terça-feira (4), nele Arlínio aparece lendo o que chama de “carta de esclarecimento”.

Arlínio Rocha é acusado de formação de quadrilha, apropriação indébita e estelionato. Além dele, outros 18 membros da igreja, incluindo pastores, foram denunciados pelo MPES pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha e duplicata simulada, em maio deste ano. Eles teriam praticado desvio de dízimo da igreja, envolvendo uma movimentação financeira de R$ 24,8 milhões, em benefício próprio, segundo o Ministério Público.

saiba mais:

MP inicia as investigações de desvios de dízimos, lavagem de dinheiro pela Igreja Maranata

No vídeo divulgado na internet, o pastor Arlínio diz que foi usado por Gedelti Gueiros, presidente afastado e líder máximo da Maranata. “Como

Pastor Arlinio se diz ameaçado
Pastor Arlinio se diz ameaçado

primeiro secretário, assinava documentos de boa fé, às vezes até sem tomar conhecimento do seu teor total. Eu era funcionário da entidade e obrigado a obedecer irrestritamente a pessoa do presidente. Diante dos fatos me sinto traído, pois sempre agi de boa fé. Declaro indignado que meu nome e minha assinatura tenham sido usados de forma inescrupulosa, denegrindo minha imagem diante do Ministério Público e da sociedade. E ainda pelo fato de estar sendo associado àqueles que, segundo o Ministério Público, cometeram crimes e irregularidades na administração da entidade”, afirma.

Ele diz ainda que apóia o trabalho do Ministério Público e da imprensa. “Gostaria de externar meu total apoio à imprensa e ao Ministério Público em sua busca pela elucidação dos fatos e alertar aos irmãos para não interpretar como sendo perseguição à igreja”, relata.

Nesta sexta-feira (7), o advogado de Arlínio Rocha, José Luiz Rubiale, contou que, horas depois que o vídeo foi divulgado, Arlínio recebeu um telefonema de um pastor membro do grupo que está sendo investigado. O pastor dizia que tinha sonhado com a morte da filha de Arlínio. O ex-secretário da igreja entedeu que essa conversa foi uma ameaça. Depois do telefonema, Arlínio levou a família para um sítio no interior do estado.

Gustavo Varella, um dos advogados da Igreja Maranata, informou que a instituição não vai se pronunciar porque a igreja não foi acusada em nenhum momento. Disse ainda que tudo está sendo investigado e a verdade vai prevalecer. Quanto à declaração do ex-secretário Arlínio sobre o pastor Gedelti Gueiros, o advogado disse que a afirmação é estranha, pois os dois convivem há décadas. Para Varella, parece uma estratégia de Arlínio para não ser transformado em vítima.*Informações G1

Membro da Igreja Maranata ameaça Pastor

7 COMENTÁRIOS

  1. EU sou da igreja maranata,mas sempre que ia entregar o dizímo sentia uma coisa muita estranha ,ñ sentia paz e dizia para minha familia,alguma coisa errada tem ai.porque os dizímos tem que ser usado na obra local e apenas 10 porcento vai para o presbiterio.mas eles determina que todo dizímo tem que ser mandado para igreja la no Espirito santo.isto ñ é correto.os dizímos sao pra suprir as nescidades das igrejas,porque assim diz la em Malaqias.porque o DEUS que nós servimos ñ precisa de dinheiro,ele é o dono do ouro e da prata.

Deixe uma resposta