Justificação pela Fé em Cristo

1
Justificação pela Fé em Cristo
Justificação pela Fé em Cristo

Justificação pela Fé em Cristo. A justificação pela “Fé” esta ligada à importantíssima questão de saber “como o homem pode ser justo para com DEUS?” Por três vezes tal pergunta é feita no livro de Jó (4.17;9.2;25.4;cp.15.14).E a primeira vez que encontramos a resposta de como o homem pode alcançar sua justificação pela “FÉ” ou a primeira dica para o homem de como resolver esse problema encontra-se em (Gênesis 15:6) – E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça. Pois então se fala da “justiça” e da “crença”. Apalavra de DEUS veio a Abraão, porque foi grande a confiança deste, sendo a justiça a consequência. Essa passagem é, em alguns casos, a chave para diversas referencias encontrada em outros lugares da Bíblia com respeito à justiça e à Fé.

A mesma ideia da justificação pela confiança em DEUS se apresenta em(Salmos 32:1) – BEM-AVENTURADO aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.

(Salmos 32:2) – Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. E (Habacuque 2:4) – Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá; no entanto, a justificação pela “Fé” se exibe de um modo mais claro nas paginas do NT.

A justificação diz particularmente respeito à nossa verdadeira relação com DEUS, não tendo em vista a condição espiritual, a situação judicial. Essa verdadeira comunhão com DEUS foi comprometida pelo pecado, do que resultam a culpa, a condenação e a separação. Justificação o ressurgimento dessa comunhão, sendo removida a condenação pelo perdão, a culpa pela justiça, e a separação pela boa vontade de mudar de vida. Justificação significa realmente a reintegração do ser humano na sua verdadeira relação com DEUS.

É então considerado justo, aceito perante DEUS como reto respeito à lei divina, sendo, portanto, restaurado à sua posição original. Desse modo, a justificação é muito mais do que o perdão, embora o perdão seja necessariamente uma parte da justificação. As duas idéias aparecem distintas em (Atos 13:38) – Seja-vos, pois, notório, homens irmãos, que por este se vos anuncia a remissão dos pecados.

(Atos 13:39) – E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê.O perdão é apenas negativo, concedido apenas para ser removida a condenação, ao passo que justificação também é positiva, trazendo a remoção da culpa e a concessão das boas relações com DEUS. O perdão é apenas um ato de misericórdia divina, repetindo-se sucessivamente por toda nossa vida Cristã. A justificação é completa, nunca e repetida, e abrange o passado, o presente e o futuro da nossa vida.  

‘Quem já se banhou (justificação) não necessita de lavar senão os pés (perdão) “João (13.10). 

A justificação também deve ser distinguida da santificação, que geralmente é compreendida com o significado “de ser feito santo”. Ainda que a justificação e a santificação sejam estados inseparáveis na experiência da vida cristã, devem, contudo, distinguir-se claramente no pensamento. A justificação diz respeito à nossa situação espiritual; e a santificação, à nossa condição espiritual. Aquela esta relacionada ao nosso estado para com DEUS, e esta, ao “Amor” que lhe devemos. Uma trata da nossa aceitação; a outra, da nossa qualidade de aceitáveis. Uma é o fundamento da paz, Cristo por nós; a outra o fundamento da nossa pureza, Cristo em nós.

A base da nossa justificação é a obra redentora de nosso Senhor Jesus CRISTO, “Aquele que não conheceu o pecado, ele o fez pecado por nós, para nele fomos feito justiça de DEUS”(II Corintios 5:21) – Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. “Por meio dele, todo que crê é justificado” (Atos 13:39) E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê. Por consequência, é pela obra de CRISTO, e não pelas próprias obras ou méritos, que nós somos justificados. O ser humano procura continuamente estabelecer sua própria justiça, mas o mau êxito tem sido o resultado em todos os tempos, pois é manifesta sua incapacidade tanto para apagar o passado como para garantir o futuro. “Pela sois salvos […] e isto não vem […] de obras, para que ninguém se glorie”  

(Efésios 2:8) – Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.

(Efésios 2:9) – Não vem das obras, para que ninguém se glorie;A justificação é alcançada pela “Fé”. “Todo o que crê é justificado” (Atos 13:39); justificados pois mediantes a “Fé” (Romanos 5:1) – TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo. A confiança faz sempre supor que dependemos de alguém superior a nós; é o reconhecimento da nossa própria incapacidade e o poder de algum outro ser que é “Jesus CRISTO”. A Fé une-nos a CRISTO, e essa união é a única reposta que se pode dar à revelação de DEUS.

É a renuncia de nós próprios e a crença no salvador. Descansamos nosso coração em Jesus e aceitamos sua perfeita justiça.

Autor: Augustus.R. Buckland

1 COMENTÁRIO

  1. muito bom ,gostaria de obter um estudo sobre livre arbitrio, na minha Igreja temos encontrado alguma dificuldade para falar deste tema. grato pela atenção

Deixe uma resposta