Justiça do RJ nega liberdade provisória ao pastor Marcos Pereira

Justiça do RJ nega liberdade provisória ao pastor Marcos Pereira
Justiça do RJ nega liberdade provisória ao pastor Marcos Pereira

Justiça do RJ nega liberdade provisória ao pastor Marcos Pereira. A 1ª Vara Criminal de São João de Meriti negou nesta segunda-feira (27) o pedido de liberdade provisória para o pastor Marcos Pereira da Silva, diretor da Assembleia de Deus dos Últimos Dias. Ele responde por dois crimes de estupro e coação de testemunha.

A Justiça entendeu que o habeas corpus para o religioso atrapalharia o andamento do processo. Segundo o magistrado que negou o pedido, os motivos que levaram à prisão preventiva de Marcos Pereira continuam inalterados.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o réu é “pessoa de alta periculosidade e ameaça direta e indiretamente as pessoas que o contrariam”. Ainda pelo argumento do MP, “o pastor se utiliza da autoridade religiosa para amedrontar e até mesmo aterrorizar suas vítimas”.

Marcos Pereira está preso desde 8 de maio. A defesa dele já realizou três tentativas frustradas de habeas corpus.

Conversas picantes

Na semana passada, a Polícia Civil divulgou escutas telefônicas que, segundo as investigações, evidenciam a rotina de orgias praticadas pelo pastor Marcos Pereira da Silva em um apartamento na praia de Copacabana, na zona sul do Rio. Em uma das gravações, o religioso aparece em um diálogo picante com uma seguidora.

Em outro caso, ele ordena que uma suposta comparsa leve uma adolescente de 16 anos, filha de um traficante, até o apartamento em Copacabana. O pastor se referiu à menina como “sem vergonha” no telefonema. Assista ao vídeo:


Com informações R7

COMPARTILHAR