Situação em Bangui, na África, permanece tensa.

0

Situação em Bangui, na África, permanece tensa.

Situação em Bangui, na África, permanece tensa.
Situação em Bangui, na África, permanece tensa.

A paz e a estabilidade ainda são apenas um sonho distante para o povo da República Centro-Africana. Cristãos locais contam com a sua oração.

“As circunstâncias em Bangui ainda estão bastante complexas e difíceis, há muita tensão na cidade”, escreveu um colaborador da Portas Abertas, direto da capital da República Centro-Africana (Bangui). De acordo com o seu relato, rebeldes Seleka – que têm muitas crianças recrutadas como soldados em suas fileiras – assassinaram, brutalmente, mais de 100 pessoas no último domingo, 31 de março. O massacre aconteceu em Damara, um subúrbio ao norte de Bangui, durante um protesto das vítimas – muitas delas, cristãos -contra o roubo de utensílios de suas casas. Os rebeldes também torturaram o chefe local, porque ele se recusou a cooperar com eles.

O colaborador da Portas Abertas em Bangui informou que os cristãos estão apreensivos quanto ao seu futuro. Enquanto os insurgentes continuam a atacar lares e empresas de cristãos, os meios de comunicação locais especulam sobre as implicações de cada vez mais e mais extremistas contrários aos cristãos assumirem o poder do país. Michel Djotodia, líder rebelde e auto-proclamado presidente, preencheu a maioria dos cargos em seu governo com outros muçulmanos – dos 34 cargos, 10 foram entregues a membros fundamentalistas do Seleka, 16 para membros da sociedade civil simpatizantes do Seleka e os 8 restantes para os partidos de oposição. Estes políticos da oposição, porém, desde o início dos conflitos, retiraram-se de instâncias do governo.

Ore pelos cristãos nessa nação, para que Deus os proteja e lhes dê sabedoria para enfrentar essa situação. Peça ao Senhor por paz e estabilidade na região, para que o sonho de muitos cristãos seja realizado e eles possam adorar a Deus livremente.

Fonte: Porta Abertas Internacional

Tradução: Ana Luíza Vastag

Deixe uma resposta