Pastor Marco Feliciano diz que comissão era dominada por Satanás

Pastor Marco Feliciano diz que comissão era dominada por Satanás
Pastor Marco Feliciano diz que comissão era dominada por Satanás

Pastor Marco Feliciano diz que comissão era dominada por Satanás. O deputado federal e pastor evangélico Marco Feliciano (PSC-SP) recentemente empossado presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara (CDH) declarou que o colegiado era “dominado por Satanás” antes de sua chegada ao posto. A afirmação foi dada durante um culto em um ginásio de Passos (MG) na sexta-feira à noite. Ele foi recebido por protestos no local.

“Essa manifestação toda se dá porque, pela primeira vez na história desse Brasil, um pastor cheio de espírito santo conquistou o espaço que até ontem era dominado por Satanás”. Na sequência, Feliciano criticou a realização de um seminário sobre “diversidade sexual na primeira infância” feito pelo órgão em 2012. “Eu morro, mas não abandono minha fé”, gritou, que vem sendo acusado de ser homofóbico e racista.

As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo.
Deputado federal foi recebido com protestos em um culto em Minas GeraisDeputado federal foi recebido com protestos em um culto em Minas Gerais

A declaração do deputado não foi bem recebida por ex-presidentes da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. “Mais uma vez, ele mostra desequilíbrio, inclusive emocional, para presidir uma comissão. É um cargo que exige parcimônia, respeito”, disse a deputada federal Manuela D´Ávila (PC do B-RS), que presidiu a CDH em 2011. A deputada federal Iriny Lopes (PT-ES), que dirigiu a mesma comissão em 2010, repudiou de maneira enfática a fala de Feliciano.

Para ela, o deputado é um “vexame” e “empobrece o parlamento”.”Esse pastor é um ridículo. É um vexame e deveria se mancar e não expor à Câmara ao ridículo”, afirmou. Antecessor de Feliciano no cargo, Domingos Dutra (PT-MA) também criticou a declaração. “Cada vez que fala, ele se encrenca. Ele ofende os demais colegas”, disse.*As informações são do Jornal do Brasil.

COMPARTILHAR