Deputado evangélico acusa ‘CQC’ de contratar atriz para seduzir parlamentares

Deputado evangélico acusa 'CQC' de contratar atriz para seduzir parlamentares
Deputado evangélico acusa ‘CQC’ de contratar atriz para seduzir parlamentares

Deputado evangélico acusa ‘CQC’ de contratar atriz para seduzir parlamentares.

O deputado federal Francisco Floriano (PR-RJ) registrou ocorrência na Polícia Legislativa contra a equipe do programa CQC, da TV Bandeirantes. Segundo o órgão, o deputado acusa integrantes do CQC de usar uma atriz para seduzir parlamentares durante gravações do programa.

Conforme o registro da ocorrência, feito às 19h10 de quarta-feira, uma mulher com trajes “provocantes” abordava deputados no Salão Verde, área de acesso ao Plenário da Câmara. Aos parlamentares, a atriz entregava cópias de seu currículo e pedia emprego. “O deputado alegou que o CQC o abordou de forma inconveniente. Segundo ele, usaram uma moça com saia um tanto curta e um grande decote, apresentando currículo e um pedido de emprego. Quando foi alertado de que era uma brincadeira, ficou nervoso e disse que ia registrar queixa na Polícia Legislativa, o que de fato fez”, afirmou Antonio Geraldo Martins, diretor da Coordenação de Polícia Judiciária.

Veja também:

Programa CQC provoca Pastor Silas Malafaia em Brasília

Integrante do “CQC” declara temer a bancada evangélica

De acordo com Martins, a atriz e a equipe do programa prestaram esclarecimentos à Polícia Legislativa e afirmaram que não usariam as imagens

Deputado federal Francisco Floriano
Deputado federal Francisco Floriano

sem o consentimento do deputado. “Normalmente, nesse tipo de reportagem, eles mostram pra pessoa o que vai ser divulgado. Como o deputado não gostou, eles disseram que apagaram as imagens, e se comprometeram a fazer isso”, disse o diretor.

O deputado alegou constrangimento pela abordagem. “Ele é um pastor e disse que a base dele é de evangélicos. Disse que ficaria muito ruim aparecer na televisão sendo abordado por uma moça naqueles trajes”, relata Martins. Segundo o diretor, a ocorrência “provavelmente não vai ter andamento”, tendo em vista que não foi detectado “qualquer tipo de delito para enquadramento”. Entretanto, a primeira-secretaria da Câmara, responsável pelas credenciais de jornalistas, pediu cópia da ocorrência para avaliar a atuação do programa.

A TV Bandeirantes informou, por meio de nota, que não houve nenhuma tentativa de sedução por parte do programa. “A direção do programa informou que a matéria foi gravada com vários parlamentares que entenderam a brincadeira. Esclareceu ainda que não houve o uso de câmera oculta, nem qualquer tentativa de enganar e muito menos ‘seduzir’ os deputados”, disse a nota.*Informações Terra

COMPARTILHAR