Cristãos pacificamente protestam contra petistas condenados pelo STF pelo caso “Mensalão”.

0

Cristãos pacificamente protestam contra petistas condenados pelo STF pelo caso “Mensalão”.

 

Cristãos pacificamente protestam contra petistas condenados pelo STF pelo caso "Mensalão".
Cristãos pacificamente protestam contra petistas condenados pelo STF pelo caso “Mensalão”.

Um grupo de evangélicos, seu reuniu ontem, quarta-feira (17) em Brasília,  na sala onde acontecia a reunião da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), em protesto contra a permanência dos deputados José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP), condenados pelo Supremo Tribunal Federal no caso “Mensalão”.

Os manifestantes que não atrapalharam a sessão e nem fizeram tumultos, levaram cartazes que diziam: “Sim à Família”, “Fora Genoino”, “Cristão protesta com educação” etc.

A manifestação também teve a  intenção de pedir a permanência do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).

A reunião aconteceu em uma sala fechada ao público para que as pautas não fossem prejudicas, por conta do tumulto.

O Pastor Silas Malafaia quando soube dessa iniciativa e da atitude dos evangélicos que não atrapalharam a reunião da CCJ, parabenizou o ato e disse que os envolvidos ensinaram os ativistas gay (que protestam contra Feliciano) como se deve fazer uma manifestação.

Evangélicos manisfestam nessa quarta-feira contra Deputados e a favor da Família.
Evangélicos manisfestam nessa quarta-feira contra Deputados e a favor da Família.

“O que vimos acontecer agora em uma manifestação na CCJC, pedindo a saída de José Genoino e de João Paulo Cunha, deputados condenados pelo STF no processo do mensalão, é uma aula de democracia e civilidade. Nenhuma gritaria, nenhum palavrão, nenhum cartaz com ofensas morais. Na verdade, nenhuma palavra dita, apenas cartazes com dizeres civilizados.” Disse Malafaia.

O pastor está organizando uma manifestação pacífica  para 5 de Junho contra o aborto,  em nome da família tradicional, e pela liberdade de expressão e religiosa. (*Com informações gospelprime.com.br).


Deixe uma resposta