Senado declara medidas para corte de R$ 26 milhões em despesas.

0

Senado declara  medidas para corte de  R$ 26 milhões em despesas.

Senado declara  medidas para corte de  R$ 26 milhões em despesas.
Senado declara medidas para corte de R$ 26 milhões em despesas.

Nesta quarta-feira (20) a presidência do Senado declarou as novas medidas de administração que deverão contribuir na redução de gastos de R$ 26 milhões no biênio 2013-2014. De acordo com a assessoria de imprensa da presidência, o corte é um adicional à redução de R$ 262 milhões em custos anunciada anteriormente por Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente da Casa.

O anúncio desta quarta foi feito após reunião da Mesa Diretora, que reuniu senadores responsáveis pela administração da Casa. Calheiros adiantou uma série de medidas para contenção de custos, como redução de contratações e nomeações, durante a sua posse como presidente da Casa .

Movimentos anticorrupção cobravam a desistência de Renan Calheiros em comandar a Casa. Uma petição online contra a candidatura dele se espalhou pelas redes sociais e recolheu 1,6 milhão de assinaturas.

De acordo com a assessoria, os cortes serão: Na Central de Atendimento, corte de R$ 1,4 milhão, com diminuição de apoio administrativo. Na gráfica, os cortes de mão-de-obra e de tiragem de publicações gerarão abate de R$ 4,6 milhões. E só na Polícia Legislativa a economia será de R$ 13,3 milhões, com redução de 32% no contrato de vigilância e redução dos postos noturnos de ascensoristas.

 R$ 7 milhões serão economizados com a suspensão da compra de 700 computadores e impressoras para doação a câmaras municipais por meio do programa Interlegis, de modernização do poder Legislativo nos âmbitos federal, estadual e municipal que para Romero Jucá (PMDB/RR), 1º vice-secretário da mesa, essa doação dos equipamentos não é função do Senado, que afirmou:

“O Senado não vai mais distribuir equipamentos. O Senado vai dar assistência, capacitação, conhecimento, tecnologia. O programa continua, mas não vai distribuir equipamentos”.

Jucá também disse “A gente autorizou uma ação de aglutinar funções para diminuir despesas. Isso implica em retirada de cargos, de funções que estão acabando[…]. Vai ter diminuição de função comissionada”. O senador negou que serão feitas novas demissões de pessoal, mas afirmou que haverá uma “aglutinação de funções” para diminuir os gastos com cargos comissionados.

De acordo com o senador, ainda não há estimativa da quantidade de servidores que serão afetados nem a estimativa da redução de gastos com o novo modelo. Na próxima semana, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), também integrante da mesa, deverá apresentar um relatório com as estimativas e o modelo detalhado da medida.  A mesa discutiu, ainda, uma proposta de planejamento estratégico para a Casa, com metas a curto, médio e longo prazo que precisam ser implementadas (*Com informações g1.globo.com).


 

Deixe uma resposta