Papa Argentino é resposta à perda de católicos na região, diz analistas

1
Papa Argentino é resposta à perda de católicos na região, diz analistas
Papa Argentino é resposta à perda de católicos na região, diz analistas

Papa Argentino é resposta à perda de católicos na região, diz analistas.Um dos principais desafios do papa Francisco, nome escolhido pelo novo papa Argentino Jorge Mario Bergloglio, será deter a sangria de fiéis na América Latina, região que concentra cerca de 40% dos católicos do mundo e onde crescem com força as igrejas evangélicas, afirmaram especialistas nesta quinta-feira à Agência Efe.

Segundo os analistas consultados, a escolha de um papa procedente de um país em desenvolvimento, especificamente de um latino-americano, pôs em evidência o desejo da Igreja de olhar para fora da Europa, rumo ao hemisfério sul e em direção a regiões onde o catolicismo ainda é dominante ou tem potencial de crescimento.

De acordo com uma pesquisa divulgada no mês passado pelo Pew Research Center, a Europa deixou de ser majoritária entre os católicos, posição assumida pela América Latina, enquanto as regiões nas quais esta fé cresce atualmente com maior dinamismo são a África Subsaariana e a Ásia.

É lógico que esse foi um dos motivos
Douglas Cabral Dantas professor de Cultura Religiosa da PUC-MG sobre a escolha do novo papa estar ligada à fuga de fiéis na América Latina

“É lógico que esse foi um dos motivos para a escolha do cardeal argentino Jorge Bergoglio. Trata-se de dar ao papa um rosto que o aproxime mais do hemisfério sul, da América Latina e dos pobres”, disse à Efe Douglas Cabral Dantas, professor de Cultura Religiosa da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais.

Em sua opinião, com a eleição do jesuíta argentino, a Igreja consegue dar um giro em seu rumo e ao mesmo tempo responder ao desafio de sua perda de força na América Latina, reforçar seu crescimento em países da Ásia e da África, e desviar a atenção sobre a Europa, “principal polo dos escândalos”.

“Os cardeais eleitores do papa pensaram em várias coisas quando votaram em um latino-americano, entre elas que a América Latina é a região com a maioria dos católicos no mundo e na necessidade de manter essa maioria”, declarou Ildo Bohn, secretário de informação do Centro de Estudos Bíblicos (CEBI) do Brasil.

Para os teólogos, a escolha de um jesuíta também tem o simbolismo de reforçar a evangelização fora da Europa, dada a longa tradição dessa ordem como missionária em lugares remotos.*Terra

1 COMENTÁRIO

  1. O CRESCIMENTO DA IGREJA NÃO ESTÁ NA APARÊNCIA FÍSICA DO PAPA NEM NA SUA NACIONALIDADE, QUEM FAZ CRESCER É O ESPÍRITO SANTO A SUA IGREJA, OS CATÓLICOS NÃO SABEM DISSO PORQUE NÃO VALORIZAM A BÍBLIA, A IGREJA CATÓLICA VALORIZA E SÓ HOUVE AS TRADIÇÕES DE HOMENS!
    ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA!“Por que transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição?” (Mateus 15:3).
    “E, assim, invalidastes a palavra de Deus, por causa da vossa tradição” (Mateus 15:6).
    “E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Mateus 15:9).

Deixe uma resposta