Ex-chefe e cardeal da Igreja Católica britânica admite conduta sexual inapropriada

Ex-chefe e cardeal da Igreja Católica britânica admite conduta sexual inapropriada
Ex-chefe e cardeal da Igreja Católica britânica admite conduta sexual inapropriada

Ex-chefe e cardeal da Igreja Católica britânica admite conduta sexual inapropriada. Após renunciar na semana passada do posto mais importante da Igreja Católica da Grã-Bretanha, o cardeal Keith O’Brien admitiu neste domingo que teve uma conduta sexual inapropriada.

Em um comunicado, ele pediu perdão às pessoas que ele “ofendeu”, à igreja católica e à população da Escócia, de onde era chefe da Santa Sé.
O cardeal, que tem 74 anos, havia deixado o cargo na segunda-feira, após ter seu nome envolvido no centro de um escândalo ocorrido há três décadas.

Ele é acusado por três padres e um ex-sacerdote de ter se “comportado de maneira inapropriada” nos anos 80. Os quatro afirmaram que foram vítimas de assédio sexual por parte de O´Brien.

Em entrevista ao jornal inglês The Observer, o ex-sacerdote relatou que o cardeal se aproveitava das orações noturnas para manter “contatos inapropriados”.

‘Pior momento posssível’

“Gostaria de aproveitar a oportunidade para admitir que, em alguns momentos, minha conduta sexual não foi compatível com os padrões esperados da minha pessoa, como padre, arcebispo e cardeal”, disse O´Brien na nota.

Para o correspondente da BBC em Roma, David Willey, a admissão pública do cardeal ocorreu no pior momento possível para o Vaticano.

“Isso porque a confissão vem à tona no mesmo dia reunião em Roma com cardeais de todo o mundo para começar as discussões sobre o próximo papa.. No entanto, esse conclave vem sendo ofuscado por acusações de escândalos, intrigas e traições na hierarquia do Vaticano”, disse Willey.

“E assim a credibilidade da Igreja Católica Romana vai ser ainda mais arranhada pela confissão do cardeal O’Brien”

O cardeal já havia dito que não viajaria a Roma para participar do conclave.

“Eu agora vou passar o restante da minha vida aposentado. Não terei mais nenhuma participação na vida pública da Igreja Católica da Escócia”, disse, em seu comunicado, o cardeal O’Brien.*(Informações BBC Brasil)

COMPARTILHAR