Renúncia do Papa Bento XVI não tem a ver apenas com a sua saúde

8
Renúncia do Papa Bento XVI não tem a ver apenas com a sua saúde
Renúncia do Papa Bento XVI não tem a ver apenas com a sua saúde

Renúncia do Papa Bento XVI não tem a ver apenas com a sua saúde. – Cansado e sem energia, mas também isolado politicamente. O papa Bento XVI de fato renunciou ao pontificado por conta de sua fragilidade? Fontes próximas ao Vaticano, porém, afirmam que a exaustão não tem a ver apenas com a sua saúde, mas também com a disputa de poder que marcou seus últimos meses no trono. A renúncia teria sido uma reação extrema ao que muitos classificam de governo paralelo, que teria se formado à sua sombra e sob comando do cardeal Tarcisio Bertone.

Cardeal Tarcisio Bertone
Cardeal Tarcisio Bertone

Reuters

Nos últimos meses, Bento XVI abandonou os confrontos: ‘Eu sou um papa velho’, dizia

Por seus aliados, Bento XVI optou por sacrificar seu próprio cargo, na esperança de recolocar a Igreja num caminho de maior coesão, forçando uma nova eleição.

Fontes nas embaixadas estrangeiras junto à Santa Sé relataram ao Estado os bastidores dos últimos meses de Bento XVI. Dizem que o papa renunciou de livre vontade, mas consciente de que já não mandava sozinho na Santa Sé e, com os poucos anos que lhe restavam, não conseguiria fazer o que havia planejado diante de resistência de seus ex-aliados.

De forma indireta, a Santa Sé confirmou que a fragilidade não vinha de sua saúde. “O papa é uma pessoa de grande realismo e conhece os problemas e as dificuldades”, disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. “A renúncia foi uma mensagem à Cúria, mas também a todos nós”, disse. “Foi um ato de humildade, sabedoria e responsabilidade.”

Segundo Lombardi, não havia um problema específico, mas sim uma visão “mais ampla da Igreja no mundo. “Não foi uma decisão improvisada. Foi algo muito lúcido.” A possibilidade de renúncia era cogitada por Bento XVI desde abril de 2012, após viagem ao México e a Cuba.

O papa chegou ao trono com a promessa de que conduziria uma limpeza na Igreja. O resultado, porém, foi o oposto e o equilíbrio de poder que havia durante os anos de João Paulo II ruiu.

Suas decisões de punir cardeais simplesmente foram ignoradas ou levaram anos para serem cumpridas, em um desafio claro ao poder do papa. Foram os casos de Roger Mahony ou de Thomas Curry. Marcial Maciel, fundador dos Legionários de Cristo, foi outro que acabou sendo protegido por anos, apesar das denúncias. Por mais que tenha tentado, Bento XVI jamais conseguiu implementar sua ideia “de tolerância zero” em relação à pedofilia. “Quanta sujeira na Igreja”, chegou a declarar.

Bento XVI também deu indicações de que poderia rever algumas de suas posições, como a questão do preservativo. Cardeais mostraram-se irritados e se apressaram em negar o debate. Esse não seria o único caso de desobediência. Bertone tomaria medidas à sua revelia, até mesmo punindo aliados do papa. Em uma ocasião, teria chorado.

Amigo pessoal do papa, Bertone foi a pessoa que mais recebeu poder dentro da Igreja em 2005. Mas, em alianças com membros da Cúria, teria criado situações em que colocava Bento XVI contra esses cardeais. Para evitar uma disputa direta, o papa optou inicialmente por não questionar as decisões de seu ex-aliado. Mas isso teria ido longe demais.

Um dos casos que revelou o poder de Bertone foi o do cardeal Carlo Maria Vigano, que alertou Bento XVI sobre suspeitas de corrupção nos contratos do Vaticano. O caso chegou até a imprensa italiana. Imediatamente, Bertone decidiu nomear Vigano como núncio nos Estados Unidos.

Outros fatos. Também pesaram a revelação de corrupção no Banco do Vaticano, seguido pelo descobrimento de que próprio mordomo, pessoa que o vestia e estava em sua intimidade, havia roubado documentos que expunham a corrupção na Igreja.

Para diplomatas, um indício de que Bento XVI não acreditava que o mordomo havia agido sozinho foi sua decisão de perdoá-lo, mesmo depois que um tribunal do Vaticano o condenou.

Em agosto, Bento XVI foi à casa que o Vaticano dispõe nos arredores de Roma para descanso. Fontes no Vaticano confirmaram que já naquele momento ele estava isolado. Nos últimos meses, o papa abandonou o confronto. Aos que chegavam com alguma intriga doméstica, respondia: “Eu sou um papa velho”.(Matéria: Estadão /Disputa de poder na Igreja pode ter provocado renúncia de Bento XVI)

Veja também:

Bento XVI anuncia sua renúncia, e agora, o que acontece?

8 COMENTÁRIOS

  1. bom seria que arenucia do papa foce por jesus de nazare ai sim seria uma grande nuvidade para todo o planeta terra, mais esto orando porele para que ele a ceite a jesus para ele e mora no ceu.

  2. Peço ao povo cristao, uma calma e visao correta.
    se essa coisas sao de Deus, nao acabará. mas se sao do homem
    ha de acabar. o Mestre mesmo nos disse: havera muitas coisas pra desviar o povo que acredita, devemos ser vijilante.

  3. O celibato assim falando não é anti-biblico, vejamos o que paulo fala em uma de suas cartas; sejam pois meus imitadores, como eu sou de Cristo. Aos solteiros deixo uma recomendação aqueles que querem cuidar das coisas de Deus que sejam pois solteiros, pois ao solteiro ele esta mais livre para cuidar das coisas de Deus.Ora, Pedro foi casado sim, porém ele largou tudo e foi seguir a Cristo, não existe ex-sogra e sim só sogra. Portanto ao seguir Cristo Pedro deixou mulher e filhos, e foi viver uma vida de renuncia para anunciar as Boas Novas juntamente com Cristo e, depois continuar a frente dos apostolos, após a morte de Jesus. Jesus e Paulo não eram casados viveram uma santa castidade. Ora pedofilia não é só dentro da igreja católicas, também ocorre dentro de outras denominações, casos de pastores casados que abusam de crianças dentro da própria igreja, será porque isso acontece se eles tem mulheres para se satisfazerem sexualmente falando? Mas isso não vende matéria, no caso dos padres, ai vai vender jornal bastante e o escândalo é maior por causa do voto de celibato.

  4. Nao sou católica, mas se o que está escrito acima é verdade, quero registrar minha sensibilidade com o Papa que renunciou, e dizer que ele está certissimo. Ele fez o que pode, segundo a luz que recebeu. Nao será fácil combater a pedofilia dentro da Igreja Catolica, enquanto eles nao reconhecerem que esse negocio de padre não casar é anti-biblico. Os sacerdotes no passado casavam, o Pedro que é considerado pela Igreja Catolica como o primeiro Papa também, visto que JESUS ressucitou a sogra dele. Mas tem outro ponto. A nossa anatomia foi feita por Deus para sermos casais heteroxesuais, e não para ficarmos sozinhos,tipo os padres vivem, daí a necessidade de manterem relações sexuais com crianças, e até com outros do mesmo sexo. Que Deus os ilumine o entendimento.

    • Prezada Adal, seu comentário é extremamente preconceituoso e estereotipador. Você, que se declara não-católica, e por isso, desconhecedora das realidades que permeiam a igreja, assume como postulado a situação de que todos os sacerdotes e religiosos são pedófilos. O que mais me entristece é que essa falácia é propagada por todos vocês que não são católicos, que não se importam com religião, que são a favor da eutanásia, do uso da camisinha, do casamento de homossexuais, do divórcio e de diversos outros pontos não defendidos pela Igreja de Cristo, mas que se incomodam tanto com o celibato ao ponto de comentar em uma matéria relacionada à renúncia do Papa (o líder da Igreja Católica à qual vocês não seguem, e cujos ensinamentos vocês desprezam) para falar mal do celibato, que em nada se relaciona com a questão da renúncia. Quanto a seus “sólidos” argumentos, Pedro realmente foi casado, porém não se sabe se quando ele se tornou apóstolo a esposa dele ainda era viva, uma vez que não há qualquer outra menção a ela nos evangelhos ou nas cartas de Paulo. Outro tipo de generalização é você dizer que um homem que fica sozinho tem necessidade de manter relaão sexual com crianças ou com pessoas do mesmo sexo, já que, se assim fosse, não haveria Pastores pedófilos, ou mesmo pessoas casadas. Bem sabemos que os casos de pedofilia não são exclusividade da igreja católica e muitos deles acontecem também na realidade familiar. O que se tem, de verdade, é uma amostra da sociedade. E aí não há uma linha de argumentação coerente para o questionamento do celibato, mas, talvez, uma perspectiva de questionar a forma de seleção dos vocacionados em algumas congregações ou seminários diocesanos. De todo modo, suscito ainda outro ponto. Suponha-se que os sacerdotes sejam casados. Muitas congregações exigem o voto de pobreza (como é o caso dos franciscanos). Como é que se sustenta um filho com um voto de pobreza? Você vai penhorar a paróquia para pagar a pensão aos filhos? Argumentos se constroem com coerência, críticas só são válidas quando se conhecem as realidades que estão sendo colocadas à prova. Tudo fora disso é tolice e ignorância.

    • Discordo categoricamente de você, visto que a pedofilia e tantos erros são cometidos pela nossa natureza pecaminosa, e essa tal necessidade que vc infelizmente argumenta, pode acontecer dentro da igreja catolica, na evangelica, no espiritismo no terreiro do camdomble, na casa do vizinho, enfim isso é uma praga, pelo fato de vivermos em uma sociedade pornografica e que infelizmente atinge uma minoria, repito minoria dos padres catolicos, esses devem ser tratados com caridade mas no vigor da lei.
      Voce é uma pessoa mau informada, o celibato é de livre opção do sacerdote, que o faz por amor a Jesus Cristo, e isso não fica somente restrito aos sacerdotes, leigos e religiosos optam por isso tambem, e a pessoa para aceitar o celibatario precisa ser uma pessoa sadia na sua parte sexual.
      Quanto vc disse que Pedro era casado, eu digo Paulo e tantos outros não o foram, inclusive incentivava aqueles que se sentiam chamados a viver o celibato.
      O próprio Jesus seguiu o caminho da castidade e em Mateus ele fala que muitos se fariam eunucos pelo amor do reino do céu.
      A questão da renuncia do Papa, talvez seja isso ou não, mas te digo que a promessa de Cristo que as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela é uma promessa verdadeira, pois em dois mil anos de historia tentaram dividi-la cala-la ou difama-la porém não conseguiram e não conseguirão, se a Igreja tiver que como o mestre passar pela CRUZ saibam todos aqueles que são contra ela, sejam pseudocritãos ou inimigos declarados,pois pela CRUZ o senhor remiu o mundo e veio a grande e vitoriosa ressurreição, a verdade é essa:
      Se com Crito morremos (a igreja ) com Cristo Ressucitaremos.(Rom 6)
      Pra terminar gostaria de informa-lo que conheço pessoas evangelicas maravilhosas que optaram pelo celibato e inclusive existe na Alemanha uma congregação de religiosas evangelicas chamadas filhas de maria e seguem também o celibato.

      nisi sanctae Ecclesiae Christi reditus exspectantibus suam amen

      • As difamações que a ICAR sofre é por culpa da própria instituição, não se pode culpar pelos erros de uma igreja, as pessoas que estão de fora dela.
        Respeito também a sua fé mas a Igreja do Senhor Jesus não tem placa.

Deixe uma resposta