Casamento gay divide deputados conservadores no Parlamento Britânico

1
Casamento gay divide deputados conservadores no Parlamento britânico
Casamento gay divide deputados conservadores no Parlamento britânico

Casamento gay divide deputados conservadores no Parlamento britânico. Deputados britânicos votarão nesta terça-feira o projeto de lei que autoriza o casamento homossexual e que causa discordâncias dentro do partido conservador, embora tenha grandes chances de ser aprovado, graças ao apoio dos liberais-democratas e trabalhistas.

Alguns dias após a aprovação do casamento gay pelos deputados franceses em meio a polêmicas, seus colegas britânicos vão se pronunciar sobre o texto que foi apresentado pela primeira vez no último 24 de janeiro. Depois, o projeto de lei segue para a Câmara dos Lordes (câmara alta do parlamento).

O projeto britânico permite que casais do mesmo sexo se casem legalmente e dá às diversas religiões a escolha de celebrar ou não as uniões homoafetivas. A exceção é a igreja anglicana, dominante no país, onde tais celebrações permanecerão ilegais.

A reforma – promessa de campanha dos liberais-democratas, parceiros dos conservadores no governo de coalizão – também dará oportunidade às pessoas que querem mudar de sexo de optaram por isso enquanto casadas, o que era, até o momento, ilegal.

Do ponto de vista dos direitos parentais, o casamento homossexual é essencialmente simbólico, já que casais do mesmo sexo, que beneficiam de um acordo civil desde 2005, já têm o direito à adoção de crianças. A prática de barriga de aluguel é legalizada no Reino Unido desde que não tenha fins lucrativos.

A reforma é amplamente apoiada pela oposição trabalhista e a opinião pública. Diferentemente da França, na Inglaterra o debate ainda não provocou manifestações populares.

Publicada no último domingo, pesquisa realizada pelo instituto YouGov com 2.030 britânicos na quinta e sexta-feira da semana passada mostra que 55% dos entrevistados são favoráveis ao casamento gay, enquanto 36% se diziam contra.

Os resultados confirmam os da consulta feita pelo governo entre março e junho de 2012, que recolheu 228.000 respostas, entre as quais 53% eram favoráveis ao casamento de pessoas do mesmo sexo e 46% que eram contrárias.

É com base nestes resultados que o governo conservador decidiu, em dezembro, submeter o projeto de lei ao parlamento.

O primeiro-ministro, David Cameron, já declarou ser pessoalmente a favor da reforma, o que causou feroz oposição de uma facção do seu partido. Do total de 303 deputados conservadores, entre 130 e 200 devem se opor ou se abster no momento da votação nesta terça-feira, segundo a imprensa britânica.

Para o Sunday Telegraph (próximo aos conservadores), David Cameron corre o “risco de divórcio” com seu próprio partido ao apoiar um projeto contestado e que não figurava entre suas promessas de campanha e, ao mesmo tempo, não respeitar seu engajamento de colocar em prática um abatimento fiscal para os casados.

O jornal dominical publicou também uma carta aberta dirigida ao primeiro-ministro e assinada por 25 responsáveis locais conservadores em que pedem ao governante que adiem a votação, temendo “importantes desgastes no partido conservador com a aproximação das eleições de 2015”.

Segundo avalia o governo, o casamento homossexual poderia trazer até 14,4 milhões de libras esterlinas (16,8 milhões de euros) aos cofres britânicos, graças aos gastos com festividades, venda de bolos e diárias de hotéis.

Em contrapartida, as autoridades devem gastar dois milhões de libras (2,3 milhões de euros) para atualizar os sistemas de informática a fim de registrar corretamente os casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Nesta terça, os deputados conservadores poderão votar de acordo com sua consciência, já que o governo afirmou que não haveria instruções restritivas por parte do partido.Informações AFP

1 COMENTÁRIO

  1. Caros (as) Amigos (as) Como sempre o Senhores do Poder querendo saber mais do quê o Criador os Deputados britânicos os mesmos deveriam estudar a Bíblia,ao em vez de ridicularizar a vida já sofrida por pecadeiros.Vamos pensar juntos: Quando o Criado do céu e da terra, fez o homem e mulher para ser uma só criatura e, uma só carne dai multiplicar. O mesmo criaria “ADÃO E IVO” e não “ADÃO E EVA”. E quando o salvador Jesus Cristo passou na terra o mesmo não abençou e nem ensinou a união entre Homem x Homem ou Mulher x Mulher em Livítico cap.18:22;29-30 22 “Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante.” 29 “Todo aquele que fizer alguma dessas abominações, aqueles que assim procederem serão eliminados do meio do seu povo. 30 Obedeçam aos meus preceitos e não pratiquem os costumes repugnantes praticados antes de vo¬cês, nem se contaminem com eles. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês”.

    Até que prove o contrário às escrituras essa é minha opinião.

    Amados, se nós aceitarmos isso não é um “grupinho Deputados britânicos ” e sim a pura verdade.

    Bem!?! Se continuar a prevalecer esses atos de querer afirma para sociedade que isso é normal é, por que todos eles dever ter uma roupa a prova de fogo!

    E vocês querem aceitarem e comprar essa roupa à prova de inferno? Sejam todos bem vindos ao Logo que arde com fogo e enxofre; o que é a seguenda morte.

    A quem o sistema quer enganar a mim! Sem Chance!

Deixe uma resposta