Supremo Tribunal Federal, define penas de todos os condenados no mensalão

0

Supremo Tribunal Federal, define penas de todos os condenados no mensalão

Roberto Jefferson foi condenado a sete anos de prisão e multa.

Supremo Tribunal Federal, define penas de todos os condenados no mensalão
Supremo Tribunal Federal, define penas de todos os condenados no mensalão

O Supremo Tribunal Federal definiu nesta quarta-feira (28) as penas dos 25 condenados no julgamento do mensalão. Se mantidas, 13 deles irão para a cadeia. Entre os condenados que tiveram a pena fixada está o deputado federal João Paulo Cunha, do PT, que na época era o presidente da Câmara dos Deputados.

Foi a última sessão para decidir as penas dos condenados. Entre eles, está o homem que denunciou o esquema do mensalão. O ex-deputado do PTB, Roberto Jefferson, foi condenado a sete anos de prisão e multa de R$ 720 mil por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Jefferson vai começar a cumprir a pena no regime semiaberto, aquele em que o preso dorme na cadeia e pode sair para trabalhar de dia. A maioria acompanhou o entendimento do relator, ministro Joaquim Barbosa: a colaboração de Jefferson às investigações justifica a redução da pena em um terço.

Já o ex-primeiro-secretário do PTB, Emerson Palmieri, teve a pena de quatro anos de prisão por lavagem de dinheiro transformada em pagamento de multa e perda dos direitos políticos.

A última punição estabelecida no julgamento do mensalão foi a do deputado pelo PT, João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara, acusado de receber R$ 50 mil para favorecer uma das agências de Marcos Valério. O deputado foi condenado a nove anos e quatro meses de prisão, e a pagar multa de R$ 380 mil. A pena deve ser cumprida, inicialmente, em regime fechado.

O STF também decidiu na sessão de hoje que José Borba, ex-deputado do PMDB na época do mensalão, deve cumprir a pena em dois anos e seis meses em liberdade. Vai pagar multa e perder os direitos políticos. Ele é prefeito de Jandaia do Sul, no Paraná.

Os ministros ainda não decidiram se José Borba perde o cargo de prefeito imediatamente. Esse assunto ficou para a próxima semana, quando também deve ser decidido se o Supremo determina a perda imediata do mandato dos três deputados condenados ou se essa decisão cabe à Câmara.

Em quase quatro meses de julgamento, o Supremo condenou 25 réus. Somadas as penas, chegam a mais de 280 anos de prisão, e as multas, a mais de R$ 22 milhões.

Informações: Jornal da Golbo

Deixe uma resposta