Presidente de Uganda em oração coloca seu país nas mãos de Deus

Presidente de Uganda em oração coloca seu país nas mãos de Deus
Presidente de Uganda em oração coloca seu país nas mãos de Deus

O presidente da Uganda, Yoweri Museveni, fez um discurso diferente durante a comemoração dos 50 anos de independência de seu país. A fala do líder político foi uma oração com pedidos de perdão pelos pecados da nação e uma oração colocando o país nas mãos de Deus.

A festa aconteceu no dia 9 de outubro, mas só agora os sites de notícias tiveram acesso e começaram a comentar o caso. Alguns blogs chegaram a questionar líderes religiosos para comentar o caso tão atípico.

Museveni chegou a pedir perdão pelo passado da Uganda, dizendo que estava ali para “encerrar o passado de malignidade”. “Confessamos esses pecados, que têm causado grandes impedimentos para nossa harmonia nacional e atrasos para nossa transformação política, social e econômica. Confessamos os pecados de idolatria e bruxaria que são abundantes em nosso país”.

Outros pecados foram citados pelo político, incluindo o orgulho, tribalismo, sectarismo, preguiça, indiferença, corrupção, imoralidade sexual e outros.

“Queremos dedicar esta nação a ti de modo que tu sejas o nosso Deus e guia. Queremos que Uganda seja conhecida como uma nação que teme a Deus e como uma nação cujos alicerces estão firmemente enraizados na justiça para cumprir o que a Bíblia diz no Salmo 33:12: ‘Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, o povo que Ele escolheu para lhe pertencer!’”.

Entre os pastores que comentaram a declaração do presidente da Uganda está o reverendo Scott Lively que disse que Museveni fez uma oração que serve de exemplo para outros políticos.

“A oração de Museveni é um modelo para todos os líderes cristãos no mundo inteiro. O declínio dos líderes do Ocidente está ocorrendo em proporção ao grau de rejeição que eles demonstram a Deus”, disse Scott.

O reverendo Lively apoia o governo da Uganda no processo que criminaliza a conduta homossexual. O Parlamento deve votar até o final do ano sobre as sentenças de prisão para atos homossexuais tanto para quem pratica como para os que promovem.

Traduzido de God Discussion / Via Gospel Prime

COMPARTILHAR