Atleta evangélico pego em exame antidoping coloca a culpa no diabo

0

O atleta é evangélico, mas consumiu cocaína durante uma festa depois de brigar com a noiva

Atleta evangélico pego em exame antidoping coloca a culpa no diabo
Atleta evangélico pego em exame antidoping coloca a culpa no diabo

O jogador de futebol Max foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por não ter passado no exame antidoping que realizou para voltar a jogar no América-RN. No exame ficou constatado que ele consumiu cocaína e agora terá que ficar dois anos sem jogar, correndo o risco de perder o contrato com o time.

Ao falar sobre o caso o jovem que é evangélico disse que consumiu a droga em uma festa depois de ter brigado com a noiva. “Estava em Minas, aí fui para acertar com o América-RN. Fiquei dois meses. Moro em Natal com minha noiva, somos evangélicos e infelizmente o diabo me pegou nesse caso. Tinha brigado com ela e estava com problemas que não eram resolvidos no lado profissional. Discuti com minha noiva e fui para uma festa, onde fiz o uso”.

Max passou pelo Palmeiras e pelo Caldense-MG antes de voltar para o time que o consagrou no futebol. Mas pelas regras os jogadores não podem ter substâncias ilícitas ou metabólicas em seus organismos e por isso ele será punido.

Renata Quadros, procuradora do caso, comenta que a decisão do STJD foi dura, mas que as regras são claras e que não há como abrir um precedente nesse caso. “Não há como negar os fatos. O atleta confirmou que fez uso. Sei que é uma decisão difícil punir o atleta, mas é o dever dos auditores agir de acordo com o código. Se foi um momento de fraqueza, que pena”.

Max ainda está treinando no América-RN, mas o contrato foi rescindido assim que o clube tomou conhecimento da denúncia. O atleta pode ser desligado oficialmente nos próximos dias. Além de não poder jogar por dois anos, Max ainda terá que pagar uma multa no valor de R$ 1 mil.

As informações são do portal Terra.

Deixe uma resposta