Bispo Edir Macedo visita presídio para lançar biografia

2

Bispo Edir Macedo visita presídio para lançar biografia, e comove com mensagem de esperança

Bispo Edir Macedo lança biografia em presídio de São Paulo.

A primeira aparição de Edir Macedo para o lançamento de sua biografia foi histórica. O bispo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, foi pessoalmente ao Centro de Detenção Provisória de Pinheiros (CDP 3), em São Paulo, prestigiar o evento de distribuição de exemplares de Nada a Perder. A obra, escrita em coautoria com Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Rede Record, é o primeiro volume de sua trilogia de memórias.

Bispo Edir Macedo visita presídio para lançar biografia
Bispo Edir Macedo visita presídio para lançar biografia

A ação inédita foi promovida pela Igreja Universal, que faz forte trabalho de recuperação de detentos em todo o Brasil. Cerca de 3.000 livros foram doados. O bispo Macedo foi muito aplaudido quando chegou ao presídio. E logo deixou uma mensagem de esperança.

— Alguns que estavam condenados por muitos crimes, hoje, estão pregando o evangelho. Deus muda a situação de quem crer.

Edir Macedo compartilhou suas experiências de vida ao relembrar como a fé o ajudou a vencer a angústia da prisão, há exatos 20 anos. De olhos fechados e de mãos dadas com os presos, orou no pátio da cadeia. Um instante comovente na Detenção de Pinheiros.

— Não importa quem você é ou o que você fez. Se você acredita de verdade em Deus, ele muda sua vida.

Antes de se despedir, o líder religioso agradeceu aos responsáveis pelo lançamento do livro na unidade prisional e ofereceu apoio aos detentos, destacando que eles terão amparo quando ganharem a liberdade.

É a primeira vez no Brasil que um livro, que já é um sucesso editorial e campeão de vendas, é lançado num presídio. Nada a Perder lidera a lista dos livros mais vendidos do País, na categoria não ficção, há seis semanas consecutivas. O bispo Macedo explicou:

— Aqui, não poderia deixar de vir. Para mim, é muito importante.

O bispo ressaltou que os aflitos e necessitados são os que mais precisam de auxílio.

— Eu não posso dizer que é um prazer entrar num lugar onde há sofrimento e dor. Paradoxalmente, é um prazer porque a gente chega às pessoas mais aflitas e é como Jesus disse: “Os sãos não precisam de médicos, mas os doentes.” Então, o trabalho da Igreja Universal do Reino de Deus foca justamente nos doentes, nos necessitados, nos aflitos, independente da condição econômica deles. Nós estamos prontos para ajudá-los. Esta é a fé viva que nós temos tido.

Recuperação do condenado
Informados da vinda do bispo Macedo, os detentos folheavam ansiosos os exemplares distribuídos gratuitamente.

O interno Elias Batista de Souza, 37 anos, não conseguia conter a emoção.

— É uma vitória na vida da gente. Não sei ler, mas vou pedir para o pessoal ler o livro para mim.

Admirador do bispo, Dirceu Aparecido de Oliveira, 33 anos, contou que já começou a folhear Nada a Perder.

— O livro é muito interessante. Minha família é evangélica e pretendo ser também. Essa vida da gente não leva a lugar nenhum.

O evento foi prestigiado e elogiado por autoridades do Judiciário e do governo do Estado de São Paulo.

O juiz corregedor dos presídios da capital, Ulisses de Oliveira Gonçalves, afirmou que o trabalho da Igreja Universal é fundamental no objetivo de recuperação do condenado. Segundo ele, o livro é uma forma prática de assegurar o que diz a Constituição: cultura e informação para todos.

Lourival Gomes, secretário da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, também presente no lançamento, classificou o livro como um instrumento de apoio no processo de recuperação dos presos.

— Entendo que se trata de um trabalho importante que vem sendo desenvolvido pela Igreja Universal do Reino de Deus. O livro trará para os presos momento para reflexão, momento para enriquecer culturalmente e, acima de tudo, para meditar e decidir seu destino.

Para Ademir Muniz de França, diretor do presídio, a importância de Nada a Perder para o local é ainda maior porque ele será a pedra fundamental da biblioteca que está sendo criada na unidade.

— Pela primeira vez, um livro chegou ao nosso centro de detenção.


Informações R7

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta