Polêmico pastor americano Terry Jones foi proibído de entrar na Alemanha

0
Polêmico pastor americano Terry Jones foi proibido de entrar na Alemanha
Polêmico pastor americano Terry Jones foi proibido de entrar na Alemanha

Polêmico pastor americano Terry Jones foi proibído de entrar na Alemanha

Terry Jones, o pastor evangelista norte-americano que divulgou o filme que revoltou os islamistas, foi impedido de entrar na Alemanha.

A entrada na Alemanha foi proibida ao pastor evangelista norte-americano Terry Jones, convidado por um grupo de extrema-direita para apoiar a divulgação do filme hostil ao Islão na origem de violentas manifestações, indicou hoje o Ministério do Interior.

A vinda de Terry Jones, conhecido por ter queimado o Corão (livro sagrado muçulmano) em abril de 2011, “seria contrária à preservação da ordem pública”, explicou um porta-voz do ministério à agência France Prece.

A proibição ocorre depois de um convite feito pelo grupo de extrema-direita “Pro Deutschland”, que pretende projetar em Berlim o filme “A Inocência dos Muçulmanos”, que retrata o profeta Maomé e que provocou uma vaga de protestos violentos em vários países muçulmanos.

“Pregador do ódio”

O Ministério do Interior precisou que a proibição tinha sido emitida a pedido do ministro dos Negócios Estrangeiros, Guido Westerwelle, como refere o semanário “Der Spiegel”.

“Este pregador do ódio (termo geralmente utilizado na Alemanha para designar os religiosos islâmicos radicais) nada tem a fazer na Alemanha”, indicou uma fonte próxima do ministro ao jornal alemão.

O ministro do Interior alemão, Hans-Peter Friedrich, também pretende impedir a projeção do filme na Alemanha pelo “Pro Deutschland”.

“Tais grupos e organizações só querem provocar os muçulmanos da Alemanha [e] perigosamente deitar achas na fogueira”, considerou, prometendo usar “todos os meios legais à [sua] disposição” para os impedir.

Os protestos contra o filme, realizado nos Estados Unidos e considerado insultuoso para o Islão, iniciaram-se na terça-feira na Líbia e no Egito e alastraram a todo o mundo muçulmano, tendo já causado mais de uma dezena de mortos, entre os quais o embaixador norte-americano na Líbia.

Informações:Expresso Monte

Deixe uma resposta