Edir Macedo revela em nova Biografia que sua prisão foi influênciada pela Igreja Católica

2
Edir Macedo revela em nova Biografia que sua prisão foi influênciada pela Igreja Católica
Edir Macedo revela em nova Biografia que sua prisão foi influênciada pela Igreja Católica

Edir Macedo revela em nova biografia  que sua prisão foi influênciada pela Igreja Católica

Edir Macedo já teve uma biografia, escrita pelos jornalistas Douglas Tavolaro e Christina Lemos, da TV Record, publicada em 2007.

Agora, em coautoria com Tavolaro, o líder da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da emissora resolve contar suas memórias em primeira pessoa, e em três volumes.

O primeiro, “Nada a Perder”, foi lançado há pouco mais de um mês, em agosto. Boa parte das 288 páginas da obra são permeadas por críticas à Igreja Católica.

O religioso escolheu abrir o livro relatando sua prisão, em 1992, sob a acusação de charlatanismo, curandeirismo e estelionato. E já na terceira página faz referência aos católicos, um dos alvos constantes das pregações da Universal e a quem responsabiliza pela detenção.

“O Clero Romano mandava e desmandava no Brasil, mais do que nos dias de hoje (…) A Cúria não admitia o surgimento de um povo livre da escravidão religiosa imposta por eles”, escreve Macedo.

Para reforçar a tese de que foi vítima de uma conspiração do Vaticano, ele conta ter visto um “homem de batina” fazendo anotações durante seu depoimento ao juiz que havia decretado a prisão.

A ortografia também é usada como arma em sua guerra santa. Macedo escreve “igreja católica” em letras minúsculas e “santos”, com aspas, enquanto as igrejas evangélicas, que ele começou a frequentar aos 18 anos, são grafadas sempre em caixa alta.

Há ainda referências às denúncias de pedofilia que rondaram o ambiente católico recentemente e o relato de quando se tornou evangélico e destruiu aos gritos de “desgraçados” as imagens de santos que até então usava como amuletos. Mas nem todos os “vilões” são católicos.

Sem dar os nomes, o bispo dispara contra desafetos como Valdemiro Santiago, ex-Universal do Reino de Deus e hoje líder da Mundial do Poder de Deus, que está tirando fiéis de sua denominação. Assim como já vem fazendo em cultos, Macedo compara os dissidentes a demônios.

Sobra também para o cunhado R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, que dividiu a liderança com Macedo na fundação da Universal e foi destituído numa votação após divergências sobre o rumo da igreja.

Hoje também dono de televisão, Soares é mencionado nominalmente e descrito como um pregador vaidoso e que tentou convencer a mãe de Macedo a não ser fiadora do filho no aluguel da antiga funerária que se tornaria o primeiro templo da igreja.

Infoprmações: Folha

2 COMENTÁRIOS

  1. Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer.
    eu acompanhei um pouco dessa sua fase de luta no periodo da sua prisão
    que Deus te renove e te abençõe a cada dia bispo.

Deixe uma resposta