Ativistas gays faz ameaça de ficar nus em protesto contra Pr Silas Malafaia

0

Ativistas gays ameaça, fazer protesto nú contra a titulação do Pr Silas Malafaia.

Ativistas do Grupo Gay da Bahia agendaram um protesto para o dia 27.

Ativistas gays faz ameaça de ficar nus em protesto contra Pr Silas Malafaia
Ativistas gays faz ameaça de ficar nus em protesto contra Pr Silas Malafaia

A Câmara de Vereadores de Salvador gerou polêmica ao ter concedido o título de cidadão honorário da capital baiana ao pastor Silas Malafaia, líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

Isso irritou movimentos militantes gays baianos. O professor Luiz Mott disse que eles estão se organizando para fazer um “ato de nudismo” como forma de protesto.

“Se a Câmara Municipal de Salvador não suspender o absurdo título de Cidadão Soteropolitano a Silas Malafaia, o maior homofóbico do Brasil atual, que não fez nada para Salvador para merecer qualquer honraria, dezenas de gays, lésbicas, travestis e simpatizantes pretendem ficar nus na Câmara para impedir e chamar a atenção do mundo deste absurdo discriminatório”, convocou Mott, que é historiador.

Não é primeira vez que Mott se indispõe publicamente contra Malafaia e as igrejas que condenam a homossexualidade. “As igrejas cristãs, em geral, têm as mãos sujas de sangue, pela intolerância que divulgam nos púlpitos e nas televisões. Elas fornecem munição ideológica para aqueles que têm ódio de homossexuais, fazendo com que esse ódio aumente. Vai chegar uma época em que o papa e essas igrejas vão pedir desculpas de joelhos aos homossexuais, como a igreja já pediu desculpas aos judeus, negros e índios”, afirmou recentemente.

No dia 27 de setembro, deve ser entregue o título proposto pelo vereador Héber Santana (PSC). Na mesma data, o Grupo Gay da Bahia, pretende fazer uma representação junto à  presidência do Legislativo da cidade, questionando a titulação.

A manifestação de nudismo da mais antiga entidade de defesa do gênero em atividade no Brasil será na mesma data, ressaltando que considerou o título um “atentado aos direitos humanos da comunidade LGBT”.

Com informações Mix Brasil/ Gospel Prime

Deixe uma resposta