Pastor convoca fiéis para “protesto” na Marcha para Jesus contra Parada gay

0
Pastor convoca fiéis para “protesto” na Marcha para Jesus contra Parada gay
Pastor convoca fiéis para “protesto” na Marcha para Jesus contra Parada gay

Na manhã desta quinta-feira (18), foi hasteada, pela primeira vez na história da cidade de Maringá, no Paraná, uma bandeira que representa o movimento LGBT.

Originalmente, seria hasteada em frente à Reitoria da Universidade Estadual de Maringá (UEM), mas Sônia Letícia, Procuradora Jurídica da universidade, não permitiu. Mesmo assim para o movimento gay na cidade esta é uma vitória. O evento que acabou ocorrendo no parque da cidade serviu para lembrar o dia internacional do combate a homofobia.

Já o presidente da Ordem dos Pastores de Maringá, Paulo Klingelfus pediu em seu perfil no Facebook para que os cristãos da cidade fizessem “uma guerra” contra a Parada LGBT de Maringá, programada para o próximo domingo (20).

Ele usou o versículo da Bíblia de Efésios 6:12, “Nossa luta não é contra carne nem sangue mas contra principados”. Também comentou “O versículo nos chama para uma guerra, não contra aos homossexuais, mas contra tudo o que está por traz deste movimento. Nós cristãos amamos os homossexuais, mas não podemos nos calar diante do pecado, a guerra está travada”.

O resultado de sua convocação poderá ser visto hoje, quando as igrejas de Maringá e região estarão promovendo a Marcha Para Jesus. O pastor enfatizou: “no dia seguinte o movimento gay estará realizando também em Maringá a sua passeata, o que para muitos possa até parecer normal, nos mostra o verdadeiro propósito, pois estão mobilizando caravanas de várias cidades do Brasil para que venham participar”.

Mas a repercussão foi bastante negativa na imprensa local e rapidamente reascendeu o debate sobre os evangélicos serem homofóbicos.

Luiz Modesto, um dos líderes da Parada Gay da cidade rebateu: “Os LGBT de Maringá não estão em guerra contra nenhuma igreja ou crença, só estão buscando a garantia dos direitos civis da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A Constituição Federal já diz que somos todos iguais perante a lei, só estamos relembrando as autoridades desse artigo”.

Modesto enfatizou que a data da Parada LGBT de Maringá foi definida um mês antes da Marcha Para Jesus e que a data 20 de maio, marca o final da Semana Maringaense de Combate à Homofobia, prevista desde 2010 pela mesma lei que criou o Dia Municipal de Combate à Homofobia.

Esse não é o primeiro embate entre os gays e os cristãos na cidade. Quando decidiram usar a imagem da catedral local no pôster de divulgação, os organizadores atraíram críticas dos líderes católicos de Maringá.

Com informações TN Online / VIA GOSPEL Prime

Deixe uma resposta