Casal cristão é absolvido de pena perpétua no Paquistão

0
Casal cristão é absolvido de prisão perpétua no Paquistão
Casal cristão é absolvido de prisão perpétua no Paquistão

A juíza Mazhar Ali Akbar Naqvi, da Alta Corte de Lahore no Paquistão, resolveu absolver o casal cristão Munir Masih e sua esposa Ruqayya da pena de prisão perpétua porque os promotores não conseguiram provas de que eles teriam profanado o Alcorão e insultado o profeta Maomé.

O casal foi denunciado em dezembro de 2008 por Muhammad Nawaz depois que seus filhos tiveram desentendimentos com os filhos do casal cristão. A lei da blasfêmia no Paquistão é rotineiramente usada na tentativa de se vingar de cristãos dentro de disputas de ordem pessoal.

As acusações foram feitas em Mustafabad, no distrito de Kasur, indicando que Ruqayya Masih teria tocado o Alcorão sem ablução (larvar o corpo ou parte dele, ritual usado nos cultos orientais) colocando seu esposo como cúmplice já que ele não teria impedido sua mulher de completar o ritual. Nawaz também alegou que o casal insultou o profeta Maomé.

Diante desse caso o tribunal chegou a condená-los, isso em 2010, a prisão perpétua, mas recentemente um novo julgamento conseguiu reverter a sentença dos cristãos já que não houve testemunhas para acusá-los.

Munir e Ruqayya possuem seis filhos, sendo quatro meninas e dois meninos, presos em 2008 o esposo só foi liberado após pagar fiança, mas a mãe das crianças continuou presa respondendo pelo crime ter folheado o Alcorão sem ter se lavado antes. Foi um vizinho quem deu o livro de presente para Ruqayaa que testemunhou isso no tribunal, dizendo que guardou o presente e realmente a polícia encontrou o Alcorão envolto em um pedaço de pano no armário.

Depois do último julgamento a mulher foi solta nesta segunda-feira (21) e pode voltar para casa e cuidar de seus filhos.

Com informações Portas Abertas

Deixe uma resposta