Brasileiro cristão na China evita assalto, e vira herói

0
Brasileiro cristão na China evita assalto, e vira herói
Brasileiro cristão na China evita assalto, e vira herói

O brasileiro cristão gaúcho de Ivoti, Mozer Rhian Oliveira, 27 anos, tornou-se herói na China por conseguir evitar um assalto na cidade de Dongguan, na província de Guangdong (Cantão), na sexta-feira.

Mozer ia para academia em torno da 19h30min, quando viu a sua frente um homem assaltando uma mulher chinesa. “O rapaz estava com a mão dentro da bolsa dela”, disse em entrevista ao Diário Gaucho.

O brasileiro comentou que, no momento do furto, bateu nas costas do ladrão com um guarda-churva, foi quando apareceu dois comparsas para ajudar o assaltante que a princípio estava sozinho.

Mozer correu para dentro do prédio onde fica a academia, mas os assaltantes entraram com ele e lhe agrediram com um a barra de ferro em sua cabeça. Mesmo com a presença de cerca de 50 pessoas, os assaltantes não se intimidaram.

O que impressionou e comoveu a China foi a reação das dezenas de espectadores da agressão: nenhuma. Isso levou o país a refletir sobre uma crise de consciência do povo desde outubro, quando uma menina de 2 anos, Yueyue, foi atropelada duas vezes em Foshan e não recebeu socorro de nenhuma das 18 pessoas que passaram pelo local.

Em entrevista, quando perguntado por que ele tomou a decisão de ajudar a mulher, ele respondeu porque era “cristão”, “e que aprendi sobre o amor ao próximo”.

Além de uma recompensa equivalente a R$ 15,2 mil, Mozer recebeu a visita de 20 oficiais dos governos municipal e provincial que entregou ao brasileiro uma placa de honra ao mérito. A placa é também parte da campanha oficial que tenta inspirar os chineses a praticar boas ações.

Mozer Rhian Oliveira elogiou o trabalho da polícia chinesa, que após 20 horas já havia sido identificado os assaltantes e que no sábado à noite já estavam presos. Ele comentou ainda que no domingo de manhã recebeu em sua casa o oficial chefe da polícia de Dongguan.

“Ele me presenteou com uma cesta de frutas e trouxe as fotos de todos os suspeitos. Reconheci eles e a polícia disse que, no mínimo, irão ficar presos 10 anos”, comentou.

O Brasileiro é gerente técnico e responsável pela qualidade da filial chinesa de uma empresa francesa. Ele vive há três anos na China e virou celebridade na região onde há a maior comunidade de brasileiros no país, em Dongguan (Cantão).

Não foi a primeira vez que ele faz um trabalho “heróico”. No ano passado, no mesmo lugar, ele impediu outro assalto e o ladrão foi preso.

Oliveira afirma que se a população chinesa mudar a mentalidade, esse tipo de situação irá diminuir. Apesar disso, ele diz estar mais tranquilo e que mesmo após esta situação se sente mais seguro na China do que no Brasil.

Informações: The Christian Post

Deixe uma resposta