10 de dezembro de 2016
Início Justiça proíbe evento da igreja Mundial próxima a rodovia em Guarulhos Justiça proíbe evento da igreja Mundial próxima a rodovia

Justiça proíbe evento da igreja Mundial próxima a rodovia

Justiça proíbe evento da igreja Mundial próxima a rodovia

A Justiça paulista proibiu em liminar um evento religioso que ocorreria às 23h desta sexta-feira na Igreja Mundial do Poder de Deus na avenida Monteiro Lobato, região da rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos (SP). A ação foi motivada pelo vereador Geraldo Celestino Filho, sob o argumento de que o local teria licença para eventos com lotação máxima de 30 mil pessoas. No entanto, a igreja teria indicado que 150 mil pessoas estariam presentes à vigília de hoje.

De acordo com o juiz Rafael Tocantins Maltez é “certo que existe a liberdade de consciência religiosa e o direito de exercício de culto e respectiva liturgia. Contudo, em tal direito não está incluída a instauração de caos em local situado em cidade chave para a população do Estado”. Foi fixada multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento da liminar.

Outros problemas
No dia 1° de janeiro, a inauguração do templo gerou um congestionamento de cerca de 5 km na altura do km 218 da rodovia Presidente Dutra. Dessa forma, houve transtornos para quem precisava pegar voos. Algumas pessoas não conseguiram chegar no horário marcado.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal de São Paulo (PRF-SP), a estimativa inicial da igreja era de que cerca de 30 mil pessoas participassem do evento. Já de acordo com Marcos Brunelli, gestor de atendimento da Concessionária Nova Dutra, “a igreja repassou que estava preparando o evento para 30 mil pessoas, mas existia a expectativa de chegar a 100 mil”. Porém, “com certeza, vieram mais que 100 mil pessoas. Só o número de ônibus na região já indicava isso”.

“Soubemos que havia mil ônibus com passageiros. Isso não foi comunicado. A previsão ficou muito aquém do informado”, disse à época a a inspetora-chefe de comunicação da corporação em São Paulo, Luciana Rocha. De acordo com ela, a situação só não se agravou porque os presentes foram saindo aos poucos, e não todos ao mesmo tempo, no final da tarde, quando o movimento da volta do Réveillon se intensificaria.

GUA18

Últimas notícias

Notícias mais lidas

Cultos onlie