Ciência revela que as pessoas não nascem gays, diz autor de livro sobre a homossexualidade

3
Ciência revela que as pessoas não nascem gays, diz autor de livro sobre a homossexualidade
As pessoas não nascem gays, diz autor de livro sobre a homossexualidade

Ciência revela que as pessoas não nascem gays – Em uma entrevista concedida ao jornal espanhol El Pais sobre seu livro “Compreender e sanar a homossexualidade”, Richard Cohen, quem se define a si mesmo com um “ex-gay”, afirmou que a Associação Norte-americana de Psicologia depois de muitas investigações chegou à conclusão de que as pessoas não nascem homossexuais.

O livro do Cohen foi colocado à venda em 2004. Agora em 2012 a editorial LibrosLibres fez uma nova edição que recebeu a aceitação do público incluindo os leitores homossexuais. Entretanto o movimento de lésbicas, gays, transexuais e bissexuais (conhecido pela sua sigla LGTB) pediu que o livro fosse retirado das livrarias o qual foi considerado como um ataque à liberdade de expressão.

Na entrevista ao El Pais e explicando a verdadeira origem da homossexualidade, Cohen afirmou que “em 2008, a Associação Norte-americana de Psicologia disse que embora houvesse muitas investigações sobre as possíveis causa genéticas, biológicas ou hormonais da orientação sexual, não houve descobertas que permitam aos cientistas chegar à conclusão de que a orientação sexual esteja determinada por um ou vários fatores particulares. A ciência diz que as pessoas não nascem gays”.

Ao ser perguntado se a homossexualidade é um fator biológico o autor do livro sustentou que aqueles que experimentam sentimentos homossexuais são homens e mulheres extremamente sensíveis e assinalou que eles “vivem uma relação com seus pais, com seus companheiros e com seu entorno, deferente à dos seus irmãos e às de outras pessoas ao seu redor. Essa sensibilidade pode assentar as bases para os sentimentos homossexuais”.

O autor do livro, que nos últimos 21 anos trabalhou como psicoterapeuta, confessa que suas reflexões partem de uma experiência pessoal e manifestou que “eu mesmo vivi como gay, tive um companheiro gay durante três anos”.

Entretanto durante muito tempo Cohen sofreu por viver nesse estado e reconheceu que não recebeu ajuda porque “muitos terapeutas me diziam que eu tinha nascido gay, que não havia nada a ser feito. Que eu devia aceitar e viver uma vida gay”.

O autor explicou que atrás das pessoas homossexuais quase sempre há uma história de dor que preferem ocultar.

“Sob meu desejo pelos homens havia uma ferida. Não recordava que meu tio tinha abusado sexualmente de mim. É algo que reprimi durante 25 anos, até que fiz minha terapia. Então encontrei a um mentor masculino, heterossexual. Quando experimentei o luto por esse abuso minhas tendências homossexuais desapareceram”.

Ao referir-se às causas da homossexualidade Cohen sustenta que o abuso sexual é uma das razões e explicou que “nunca é uma coisa só. É uma combinação de vários fatores. 50 por cento de meus clientes sofreu abuso sexual por parte de alguém do mesmo sexo”.

Logo depois de assinalar que os homossexuais são uma porcentagem pequena da população e muitos deles seguem sentindo-se mal consigo próprios apesar de seu bom estado físico já que “não importa quantos músculos desenvolvam, mesmo assim eles se sentem inferiores interiormente”.

Richard Cohen explicou logo que é um mito afirmar que se nasce gay porque cientificamente isso não é válido. “Mas tampouco se pode dizer que ser gay seja uma opção. A pessoa não acorda um dia e decide ser gay. Há uma série de fatores combinados que fazem que alguém se comporte como gay. Tratando centenas de homossexuais venho descobrindo que há uma série de contextos comuns em todos eles”, acrescentou.

Finalmente Cohen disse que “nas biografias dos famosos fica claro também: tiveram experiências similares. Rosie O’Donnell, Greg Luganis, Elton John, Ricky Martin, Ellen DeGeneres… todos têm histórias semelhantes.

Informações:  ACI Digital

3 COMENTÁRIOS

  1. Não é irônico como os religiosos desprezam a ciência em geral, mas quando se trata de algo que condiga com seus interesses homofóbicos e discriminatórios, resolvem se utilizar dela (mas no caso, pseudociência de algum pesquisador desconhecido de quinta categoria) para fundamentar suas crenças idiotas descritas no livro arcaico da idade do bronze (vulgo Bíblia)?

Deixe uma resposta