Noiva na Inglaterra deixa cadeira de rodas e caminha até o altar

0
Noiva na Inglaterra deixa cadeira de rodas e caminha até o altar

Victoria Royle superou a síndrome de Guillain-Barré. A jovem passou oito meses no hospital e nem conseguia se comunicar.
O sonho de caminhar até o altar ajudou uma noiva britânica de 29 anos a superar as dificuldades de uma doença que poderia deixá-la na cadeira de rodas para o resto da vida.

Victoria Royle namorava Nick havia apenas um mês quando foi diagnosticada com a síndrome de Guillain-Barré. Mesmo com o futuro incerto, o atual marido se manteve ao lado dela 24 horas por dia.

Nessa doença rara, o próprio sistema de defesa do organismo produz anticorpos contra os nervos periféricos. A destruição desses nervos pode causar desde formigamento nos dedos até paralisias graves e a morte.

O caso de Victoria parecia particularmente grave. Menos de dois dias depois do surgimento dos primeiros sintomas, ela já estava sob terapia intensiva no hospital.

“Eu estava trancada no meu corpo – não conseguia mexer nem me comunicar – e a dor era muito grande. Achei que ia morrer sem conseguir dizer à minha família o quanto eu a amava”, lembra Victoria.

Depois de oito meses no hospital, ela recebeu alta, mas os médicos a advertiram de que ela poderia passar o resto da vida em uma cadeira de rodas. Mas a luta continuou, e mais alguns meses depois, Victoria conseguiu dar seus primeiros passos, apoiada em uma bengala. Por fim, ela voltou a andar sem nenhuma ajuda.

Sem dinheiro por causa do longo tempo sem trabalhar, o casal contou com a ajuda de um programa de televisão para organizar a caminhada mais emocionante da vida de Victoria. No “Don’t tell the bride” (Não conte para a noiva), da BBC3, o noivo tem três semanas e 12 mil libras (cerca de R$ 35 mil) para preparar a festa.

“O dia do meu casamento foi perfeito. Foi tão emocionante caminhar até o altar, sendo que dois anos antes eu nem sabia se conseguiria caminhar novamente”, diz a noiva

“O Nick foi um ponto de apoio e eu me sinto a mulher mais sortuda do mundo por tê-lo e ter minha saúde”, completa.
Informações: G1

Deixe uma resposta