Igreja Católica anuncia início da experimentação com Células-tronco adultas

0
Igreja anuncia início da experimentação com Células-tronco adultas

Está em andamento no Vaticano o Congresso Internacional que reúne cientistas que trabalham em pesquisas com células-tronco adultas.

No total, 350 especialistas, personalidades políticas, bispos e embaixadores, participam de três dias de debates dedicados a esse tema, ainda pouco conhecido pelo grande público e que surge como uma alternativa ao recurso às células embrionárias.

Para a Igreja, a pesquisa tem a vantagem de não interferir na vida desde a concepção, ao contrário das células retiradas de embriões – consideradas promissoras por grande parte da comunidade científica – mas que acarretam a destruição desses embriões.

As células-tronco adultas localizadas, por exemplo, na medula espinhal, no sangue ou no fígado, podem ser modificadas e formar tecidos com usos terapêuticos múltiplos: curar doenças como a esclerose em placas ou leucemias.
Está em andamento no Vaticano o Congresso Internacional que reúne cientistas que trabalham em pesquisas com células-tronco adultas.

No total, 350 especialistas, personalidades políticas, bispos e embaixadores, participam de três dias de debates dedicados a esse tema, ainda pouco conhecido pelo grande público e que surge como uma alternativa ao recurso às células embrionárias.

Para a Igreja, a pesquisa tem a vantagem de não interferir na vida desde a concepção, ao contrário das células retiradas de embriões – consideradas promissoras por grande parte da comunidade científica – mas que acarretam a destruição desses embriões.

As células-tronco adultas localizadas, por exemplo, na medula espinhal, no sangue ou no fígado, podem ser modificadas e formar tecidos com usos terapêuticos múltiplos: curar doenças como a esclerose em placas ou leucemias.

Segundo o presidente da fundação estadunidense ‘Stem for Life’, Max Gomez, a pesquisa evidenciou perspectivas particularmente promissoras: tratadas especialmente, essas células podem não apenas regenerar os tecidos de onde provêm, mas também adaptar-se a outros tecidos. Essas terapias, em pleno desenvolvimento, abrem novas esperanças, principalmente para as pessoas com doenças cardíacas e diabetes.

Para Dom Ignacio Carrasco de Paula, presidente da Pontifícia Academia para a Vida, “a própria realização do colóquio derruba a ideia segundo a qual a Igreja “estaria em briga” com a ciência, permanecendo fechada numa atitude hostil.

“No campo da pesquisa médica, a Igreja sabe que não existe alternativa à experimentação no homem, mas o que vale é que o homem não deve jamais ser objeto, mas sujeito. Os atores são dois, médico e paciente” – disse o Cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho da Cultura, que organizou o encontro.

Dom Vincenzo Paglia, bispo de Terni-Narni, deve anunciar nesta quinta-feira, no encontro no Vaticano, que depois de anos de expectativa, estaria tudo pronto para a experimentação clínica de células-tronco adultas em pacientes com esclerose lateral amiotrófica, na cidade de Terni. O jornal L’Osservatore Romano antecipou a notícia de que um grupo de cientistas, coordenado e apoiado pelo bispo há anos, finalmente recebeu dos organismos competentes as autorizações necessárias para iniciar o programa de experimentação. A prática consiste no transplante de células-tronco do cérebro humano na medula espinhal de 18 pacientes de esclerose lateral amiotrófica, cuja seleção deve começar em dezembro.
(CM).
Informações Rádio Vaticano

Deixe uma resposta