Cuidando da alimentação das crianças nas férias

0
Cuidando da alimentação das crianças nas férias

É possível deixar de lado as besteiras e montar refeições nutritivas, saborosas e até divertidas.
Muitos especialistas têm advertido pais e responsáveis por causa de substâncias como sal, açúcar e gordura em excesso nos alimentos industrializados destinados a crianças. Nas férias, o consumo de fast-food e guloseimas aumenta, o que gera mais uma preocupação para os profissionais da saúde. Uma nutricionista do Hospital do Coração, o HCor, em São Paulo, dá dicas de como montar refeições saudáveis, gostosas e divertidas para a criançada e os adolescentes no período de recesso escolar.

Durante o período das aulas, é importante priorizar uma boa quantidade de nutrientes diários, fundamental para a saúde. Mas nas férias é muito fácil fugir dessa rotina e deixar os pequenos livres para todo tipo de besteira nada salutar, a maioria delas com quantidades de açúcar, gordura e sódio bem acima das recomendadas.

A situação é ainda mais preocupante do que aparenta. Rosana Perim, gerente de nutrição do HCor, diz que no longo período de folga da escola no meio do ano o índice de problemas de saúde aumenta consideravelmente por causa do ar seco e poluído, que causa ou intensifica resfriados, gripes e crises respiratórias. A boa alimentação reforça as defesas do corpo. “Comer bem e corretamente favorece o organismo e o deixa mais resistente, além de garantir energia para toda a diversão. Além disso, alimentos nutritivos mantêm a saúde e o desenvolvimento da criança e do jovem durante o período de férias.”

Uma dica de Rosana é deixar os alimentos sempre prontos para o consumo, a fim de incentivar a ingestão. Frutas frescas já higienizadas facilitam que a criança as coma, sem usar aquela preguicinha de lavar como desculpa para não comer. Saladas de frutas coloridas são um convite saudável, e poucos resistem a elas. Gelatinas são fáceis de fazer e muito apreciadas. Bolos com flocos de aveia e de cenoura são bem convidativos, além de biscoitos integrais. Também valem os coloridos sucos e a água de coco. “É muito comum o aumento do consumo de refrigerantes e doces. Os responsáveis pelas crianças devem controlar a ingestão desses alimentos, começando por limitar a compra deles”, alerta.

Criatividade

Alimentos simples e saudáveis permitem uma apresentação diferente, atraente para os pequenos. Segundo a nutricionista, fazer uma flor com parte de um tomate ou montar um boneco com ovo cozido, por exemplo, pode despertar o apetite da criançada e, como bônus, auxiliar na educação alimentar. Para os maiores, ela sugere colocar legumes e verduras na massa e no recheio de tortas, pastéis com verduras e queijo e trocar o chantili ou o creme de leite das sobremesas pelo iogurte desnatado. Torradinhas de pão integral e queijo magro em vez de parmesão nas saladas também são uma boa e saborosa pedida.

Outra dica simples, mas bem interessante: procurar fazer as refeições junto com as crianças e adolescentes, pois eles se espelham nas atitudes alimentares dos pais.

Um pequeno cardápio bem fácil de ser compreendido. Tudo, obviamente, sem excesso de sal, açúcar ou gordura:

Café da manhã – Leite ou derivado e um cereal.

Lanche no meio da manhã – Fruta.

Lanche da tarde – Fruta, leite ou derivado, carboidrato (um cereal, por exemplo).

Almoço e jantar – Carne vermelha, frango ou peixe, cereal (para providenciar o carboidrato), grão (feijão, por exemplo), verduras e/ou legumes.
Fonte: Arca Universal

Deixe uma resposta