A utilização da tecnologia pelas Igrejas

1
A utilização da tecnologia pelas Igrejas

Hoje em dia, a utilização da tecnologia parece ter cada vez mais de um papel de destaque na vida da Igreja. Um estudo divulgado pelo Hartford Seminary revela que o uso de tecnologia como TVs de LCD  e iPads, por exemplo já são parte de muitas comunidades religiosas de hoje.

No estudo, feito ao longo da última década, a corrida pela utilização da tecnologia foi uma das mudanças mais significativas nas igrejas norte-americanas.

O estudo analisou mais de 30 segmentos religiosos, incluindo protestantes, mórmons, muçulmanos, católicos e judeus, e constatou que as congregações onde a maioria dos membros são jovens adultos têm duas vezes mais chances de precisar usar muita tecnologia.

O relatório descobriu que os cristãos evangélicos são o grupo mais aberto para isso. A  tecnologia é mais comumente usada durante os cultos de igrejas  como a Igreja Fellowship em Dallas, Texas. Os membros desta igreja podem acompanhar as pregações do pastor Ed Young, através de um telão com vídeo de alta definição transmitida pela igreja mãe, na cidade em Grapevine.

Assim como nas aulas à distância, oferecidas por algumas universidades, agora parece ter chegado a hora das igrejas à distância. O louvor é feito por um grupo local, mas o sermão é via teleconferência.

Líderes dessa nova geração estão usando a tecnologia para apresentar seus sermões de domingo na igreja “mãe” e serem acompanhados pelas igrejas “satélite” em outras cidades ou mesmo estados. O recurso tem ajudado pastores como Mark Driscoll a atrair pessoas na plantação de novas igrejas Mars Hill pelos Estados Unidos.

Recentemente, uma universidade decidiu fazer a transmissão de um de seus cultos pelo Facebook e teve cerca de 40 mil pessoas conectadas e interagindo umas com as outras.

O pastor Alex Lang, 31, da Igreja Presbiteriana de Pine Street, em Harrisburg, Pensilvânia, decidiu “modernizar” os cultos da igreja de 153 anos, optou por métodos não tradicionais. Visando melhorar sua rede de comunicação e espalhar sua mensagem espiritual, optou por ferramentas como Facebook, YouTube, Twitter e outras redes sociais.

“Como muitas igrejas protestantes, estamos vendo um declínio no interesse de nossa sociedade. Queremos reverter isso e atrair novos membros, especialmente na faixa etária entre 20 e 45. Um monte de gente dessa idade acha que somos muito tradicionais e trancados em nosso mundinho. Mas essa não é a realidade”.

Assim, sua igreja hoje twitta orações, links para meditações, faz anúncios sobre cultos ou atividades extras, uma comunidade religiosa que se estende durante a semana nas redes sociais.

“Estamos tentando chegar a uma geração mais jovem, e esse é o seu principal meio de comunicação”, disse Gilbert Thurston, líder da ExponentialChurch.tv, de Susquehanna Township. “Como eu vejo os jovens com seus polegares em movimento constante e olhos no celular, seja mandando mensagens de texto ou usando o Facebook, eu percebo como é incrível a autenticidade dos relacionamentos que as pessoas têm através da tecnologia “

Informações: Gospel Prime

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta