Pastores sofrem de solidão, diz pesquiza

0
Pesquisa diz que 55% estão desanimados com a igreja por estarem só

Para alguns o ministério pode ser encarado como um fardo que exige abdicar de certos prazeres. A dificuldade em conciliar o ministério com família, amigos e companheiros de caminhada, fez com que muitos pastores se isolem, ainda que involuntariamente, do relacionamento e convívio social. A solidão pastoral é um problema que tem incomodado a liderança mundial e resultou em uma pesquisa produzida pela LifeWay americana. O resultado apontou que 55% dos pastores entrevistados, dizem que estão propícios a solidão e ao desânimo por estarem só.

Mais da metade 55% dos mil pastores protestantes disseram que concordavam com a afirmação. “Acho que é fácil ficar desanimado”. O mesmo percentual de pastores também disse que estar no ministério pastoral os faz sentir solitários, por vezes.

Mas para quem pensa que estes líderes querem abrir mão de tudo em prol do Reino se engana. 98% deles disseram que se sentem privilegiados pelo chamado a servir. “”Muitas estatísticas frequentemente citadas falam de pastores miseráveis e infelizes, mas não é isso que vemos quando na verdade lhes perguntamos”, disse Ed Stetzer, vice-presidente de pesquisa e desenvolvimento no ministério LifeWay Christian Resources.

Um dado curioso, boa parte dos pastores com mais 65 anos são os menos desanimados. A pesquisa mostrou ainda que os pastores de grandes templos são os que mais reclamam da solidão. “Ironicamente, pastores de igrejas maiores são mais solitários. Daqueles em congregações com frequência média de 250 ou mais, 17% discordam fortemente que o ministério pastoral faz sentir solitário às vezes. Em comparação, 32 % com as igrejas de 0-49 e 27 % com as igrejas de 100-249 discordam totalmente”.A principal razão para o desânimo pode vir de expectativas irreais, Stetzer explicou. “Voluntários Líderes influenciados por uma mentalidade consumista cristã ferem todos os envolvidos. Precisamos muito menos clientes e muito mais co-trabalhadores”, disse ele.

Apesar da carga de trabalho alta para muitos pastores, a pesquisa mostrou que a maioria não sentia que seu ministério teve um efeito negativo sobre sua família.”O pastoreio pode ser estressante para uma família, mas ao contrário de algumas estatísticas hyped, a maioria não acredita que ser um pastor tem prejudicado a sua família”, disse Stetzer, que também serviu como um pastor. “Pastoreio é difícil, e vida familiar é um aquário, mas exagerar o desafio e os perigos de pastorear pode desencorajar os pastores e criar uma expectativa de interrupção da família – levando a esse problema”, disse ele.

RISCO DA SOLIDÃO PARA SAÚDE: Um estudo feito por pesquisadores americanos confirmou: Solidão faz mal à saúde. O estudo analisou o histórico de saúde de mais de 300 mil idosos que lutavam contra alguma doença grave. Eles foram divididos em dois grupos. O dos que tinham uma rede de relacionamentos e o dos que se declararam sozinhos. O tempo de sobrevida de quem tinha amigos foi 50% maior.

Comparando com outros estudos, os pesquisadores concluíram que a solidão é um fator de risco tão grave quando o tabagismo e o alcoolismo. E mais perigoso do que a obesidade e o sedentarismo.

Com informações do Christian Post

Deixe uma resposta