Senador lamenta decisão da Justiça pela retirada de outdoor contra homossexualidade

0

Senador lamenta decisão da Justiça pela retirada de outdoor contra homossexualidade

Para o senador Marcelo Crivella, o Senado não pode se calar diante do que classificou como um “atentado à liberdade de expressão e de religião.

Justiça determina retirada de outdoor evangélico considerado homofóbico!

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) lamentou, em pronunciamento nesta segunda-feira (22), decisão da Justiça de Ribeirão Preto, em São Paulo, pela retirada das ruas de outdoor instalado pela igreja evangélica Casa da Oração com versículos bíblicos que condenando a homossexualidade. Para o senador, a decisão foi tomada “de maneira arrogante e antidemocrática” e feriu o direito à liberdade de expressão do grupo evangélico.
Na semana em que se realizaria a 7ª Parada do Orgulho Gay de Ribeirão Preto, marcada para o domingo (21), a Casa da Oração divulgou em outdoor três trechos retirados da Bíblia (Levítico 20:13; Romanos 1:26-29 e Atos 3:19), reprovando a união entre pessoas do mesmo sexo. Provocado por uma ação da Defensoria Pública, o juiz substituto da 6ª Vara Cível de Ribeirão Preto, Aleksander Coronado Braido da Silva, determinou a retirada do material e aplicou multa de R$ 10 mil ao pastor responsável em caso de descumprimento.
Na avaliação do senador Marcelo Crivella, o Senado não pode se calar diante do que classificou como um “atentado à liberdade de expressão e de religião”.
“Isso aqui é a Bíblia, isso aqui é a palavra de Deus. Isso aqui é o primeiro livro impresso nas prensas de Gutemberg e o mais lido nas civilizações ocidentais de origem cristã. Isso não pode ser censurado. Esse país iniciou-se com uma missa. Esse país começou com princípios cristãos, de família, com a Bíblia aberta nos lares. E nós não podemos abrir mão de que essa palavra seja pregada. Eu não estou fazendo nada mais do que citar a Bíblia”, defendeu o senador.
Marcelo Crivella argumentou que, se os homossexuais querem respeito, precisam respeitar também a opinião de quem discorda deles. E enfatizou que a decisão do Supremo Tribunal Federal de reconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo não autorizou a censura à Bíblia nem o cerceamento da liberdade de pensamento no país. Para o senador, “a Bíblia é, como ela é” e qualquer um tem o direito de pregá-la.
“Não podemos retroceder, não podemos aceitar retrocesso”, afirmou.
Em aparte, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) concordou com a crítica de Crivella à decisão da Justiça de Ribeirão Preto. Ataídes disse estar indignado com a medida e a considerou um “preconceito” contra a igreja.
‘Acordei em país ditatorial’, diz pastor de painel contra gays
Em entrevista ao site Portal Cristão News, o pastor Antônio Hernandez Lopes, da Casa de Oração de Ribeirão Preto (SP), lamenta a decisão da Justiça de, a pedido da Defensoria Pública do Estado, retirar um outdoor considerado homofóbico. O painel, carimbado com o apoio da casa evangélica, continha três citações bíblicas, entre as quais um trecho do Levítico que sustenta que “se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável”.
“Não estou chorando porque estou com medo. Estou chorando porque estou vendo uma igreja morta! Dormi em um país democrático e acordei em um país ditatorial!”, protestou o pastor, que diz agora estar acessível apenas a fiéis. “O fone da igreja eu desliguei. Só mantenho o fone pessoal celular no qual eu atendo as ovelhas.” A decisão da Justiça ocorreu dois dias antes da realização da 7ª Parada do Orgulho LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) da cidade, que aconteceu no domingo, e determina multa de R$ 10 mil para cada ato de descumprimento da decisão. Procurada pelo Terra, a Nóbile Painéis, responsável pelo outdoor e também citada pela Defensoria, disse que não comentaria o assunto.

Para cópia deste conteúdo, é obrigatória a publicação do link www.amigodecristo.com
Fonte: Agência Estado e Terra

Deixe uma resposta