Renascer diz que não vai reconstruir sede que desabou

0

Renascer diz que não vai reconstruir sede que desabou

Foi divulgado pelo apóstolo Estevam no culto do ultimo domingo, 31 de julho, que a Igreja Renascer Sede que desabou matando 9 pessoas no bairro do Cambuci em São Paulo, não será reconstruída:Eu tenho um desafio de Deus para vocês” discursou Estevam. “Nós estávamos tentando reconstruir a sede, porque nós tínhamos o direito legal na lei. Infelizmente nós nos deparamos com uma situação em que tivemos a aprovação, os alvarás, mas fomos impedidos de fazer por uma decisão judicial. Eu tenho uma notícia para você hoje: Nós não vamos mais reconstruir a lins, mas nós vamos construir a lins.” disse

A intenção da Renascer é de adquirir um ultimo terreno que fica ao lado da sede e que está à venda, com isso a igreja poderá cumprir a decisão do Ministério Público que com uma liminar cassou o alvará de reconstrução alegando que a Renascer não mostrou nenhuma alternativa para amenizar o fluxo de veículos no local. Com o novo projeto, a Renascer pretende construir quatro estacionamentos no subsolo um templo com capacidade para duas mil pessoas e um prédio com quinze andares.
Ainda no culto, Estevam chamou 318 pessoas com uma oferta nos valores de R$1 mil, R$3 mil e R$5 mil reais . “Miséria não tem nada a ver com Deus. Você vai prosperar como nunca prosperou. O terreno custa um valor bem alto. Eu preciso de 318 pessoas que se levantem com esses valores.” Diversas pessoas aceitaram contribuir para ajudar na compra do terreno.
Outro lado
Os moradores do Cambuci não querem a volta da Igreja Renascer no local e sim a Praça do Cinema e o Museu do Cinema, já que antes de ser um templo, o imóvel abrigou o Cine Riviera.
Advogados ouvidos pela Folha Renascer disseram que o pedido dos moradores dificilmente será ouvido, já que o imóvel pertence a Igreja Renascer.

Para cópia deste conteúdo, é obrigatória a publicação do link www.amigodecristo.com
Fonte Folha Renascer ►Renascer não vai reconstruir sede que desabou

Deixe uma resposta