Missionários são proibido de evangelizar em Parada Gay

Missionários são proibido de evangelizar em Parada Gay

A Parada Gay de Sorocaba e região, que reune, há cinco anos, milhares de pessoas no parque Campolim, enfrenta um debate na edição deste ano. Segundo a agência Bom dia, evangélicos da Igreja Missão Mundial Fogo e Glória querem prestar auxílio humanitário durante o evento, que será realizado no próximo dia 21, com centração às 13h, na praça Frei Baraúna, no Centro.
Conforme o organizador Demis Oliveira, 37 anos, conhecido por DJ Dennys Sbizera, há uma semana, um grupo o contatou com o objetivo de contribuir, de forma voluntária, com a festa. “Toda a estrutura já está pronta, estarão presentes a Guarda Municipal, agentes da Urbes-Trânsito e Transportes e o grupo formado por 30 ou 40 pessoas, ajudariam no caso de alguém passar mal, para indicar o local da ambulância ou algo do tipo”, explica Dennys que inicialmente achou a proposta interessante. “Toda ajuda é benéfica, desde que não interfira com o propósito da festa”.
Mas a repercussão desse apoio nas comunidades LGBTT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) não soou bem e agora, Dennys afirma que, nesta segunda-feira, repensará se mantem ou cancela a proposta do grupo de evangélicos.
Carlinhos Gonçalves, um dos articuladores da Parada Gay, faz críticas sobre a atuação dos missionários. “Eu receio que, assim como aconteceu na Parada Gay de São Paulo, eles tentem fazer pregações no meio da festa”,destaca.
O agência BOM DIA afirma que tentou contactar o coordenador do grupo, o missionário e líder de evangelismo, Carlinhos. Ele não quis se pronunciar, pois informou que todas as informações já haviam sido passadas, em reunião, ao Dennys, só ressaltou que a intenção é norteada pelo o amor ao próximo.

Para cópia deste conteúdo, é obrigatória a publicação do link www.amigodecristo.com
Informações Portal GUIAME►Gays proibem missionários de evangelizar em Parada Gay de Sorocaba

COMPARTILHAR