STF libera marcha da maconha alegando liberdade de expressão.

5

STF libera marcha da maconha alegando liberdade de expressão.

O Superior Tribunal Federal (STF) decidiu no dia 15 de junho de 2011, por unanimidade, pela legalização, liberar a marcha da maconha, ou seja, a liberação das manifestações em prol do movimento. A decisão do STF legaliza as manifestações favoráveis ao uso da maconha.
O ministro Marco Aurélio afirmou que é preciso proteger as manifestações que incomodem a maioria das pessoas. Gostaríamos de saber se o raciocínio do STF em relação a PL122, que criminaliza o indivíduo que se manifesta de forma contrária ao homossexualismo é o mesmo.
Se o STF é favorável a liberdade de expressão, a PL122 deve ser extinguida já. Será que os cristãos, pastores, padres e muitos outros não podem expressar suas opiniões e os favoráveis a maconha podem expressar seus conceitos abertamente? Será que existem dois pesos e duas medidas no STF?
Data: 15/06/2011

Para cópia deste conteúdo, é obrigatória a publicação integral do texto e a divulgação do link www.amigodecristo.com

5 COMENTÁRIOS

  1. O problema é que na Espanha, Holanda, as leis funciona. Aqui no Brasil as leis só funcionam a favor do bandido. Os trabalhadores estão e continuarão desprotegidos.

  2. A favor da regulamentação/legalização. Porque, na verdade, hoje vivemos num momento de liberalização onde o traficante tem o monopólio da Cannabis. Não é difícil comprar maconha. Mesmo e principalmente perto de escolas. E a Cannabis é a droga mais usada no País. Tirar este monopólio das mãos do traficante, que não tem o mínimo escrúpulo na hora de aliciar jovens a experimentarem crack, seria um golpe financeiro na rede do tráfico. Alguns plantariam e lojas venderiam. Caso o preço fosse semelhante ao cigarro comum, seria cerca de 20 vezes mais barato do que é cobrado hoje. Continuaria havendo contrabando? Sim, mas o mercado paralelo seria semelhante ao mercado paralelo de cigarros e de CDs piratas, onde não há toda a violência do narcotráfico. Tal mercado paralelo também poderia ser efetivamente desestimulado pela política de impostos a ser adotada pelo governo. Na Espanha, é bom dizer, também há associações que plantam para auto-sustento. Também a maconha vendida seria de maior qualidade. Na holanda, para ilustrar, houve uma diminuição pela metade do consumo de heroína entre os cidadãos do país. O único problema que ela enfrentou foi que, por assumir uma posição de vanguarda e destaque internacional, gerou o turismo internacional para consumo de drogas, o que fez com que o tráfico não fosse substancialmente eliminado. Mas isto, que fique claro, está sendo corrigido. Estão aparando as arestas da lei, por assim dizer. Já em Portugal e na Espanha, a regulamentação foi um sucesso total. Lá eles não tem este problema do turismo de usuários de drogas. Enfim, a questão é que deve haver uma legislação mais inteligente que a atual, adaptada à nossa realidade, e que seja depressora do poder financeiro do tráfico. Ou seja, sou plenamente a favor da regulamentação/legalização porque a lei atual se mostra completamente fracassada, indutória a drogas pesadas, marginalizadora, assassina e ineficaz.

    Opinião de um neurocientista PhD: http://tribunadonorte.com.br/noticia/entrevista-dr-joao-menezes-neurocientista-e-pesquisador-da-maconha/180597

  3. Eu to aqui no Paraguay e tenho assistido pela net que ai no Brasil devagar e devagarinho o bicho vai entrando e as coisas vão se liberando, daqui a pouco o estrago ja ta feito, verdade que isso é parte de um Mundo sem conhecimento de Deus O Senhor, e um dia tudo vai se extragar aqui mesmo, mas enquanto existe Igreja nesta terra, temos que lutar pra manter uma certa ordem. depois de sermos arrebatados ai quem ficar, na sua maioria são os que apoiam essas barbaries, ai eles vão sonhar que são feliz até o bicho mostra os dentes e o julgamento de Deus lhes sentenciar.

  4. Muito bem observado.

    Será que os bizarros doutores do STF, que recentemente se mostraram tão liberais e "homoafetivos", defenderiam o direito de se expressar idéias que desagradam ao lobby gay, tão queridinho, sensível e intocável?

    Ou, pros doutores modernóides com suas capas de super-heróis, liberdade é só em favor de maconha, homossexualismo e terroristas (italianos e brasileiros)?

    E para os assim-rotulados "reacionários" e "preconceituosos" contrários a tudo isso, os dotores defenderiamm também liberdade de expressão, ou é censura e cadeia mesmo, como pretendem o PLC 122/06, PL 6418/05 e aberrações semelhantes?

Deixe uma resposta