Papa inocenta judeus de serem os culpados pela morte de Jesus !

4
Papa inocenta judeus de serem os culpados pela morte de Jesus !
No dia 10 de março o papa Bento XVI lançará a segunda parte do livro “Jesus de Nazaré” que fala sobre a paixão, morte e ressurreição de Cristo e os momentos mais decisivos na vida de Jesus, segundo o papa. Nessa obra o bispo de Roma inocenta os judeus de serem os culpados por Jesus ser condenado à morte.
O Pontífice assinala que, quando no Evangelho de Mateus se fala que “todo o povo” pediu a crucificação de Cristo, “não se expressa um fato histórico”. Na visão dele não seria possível ter tantas pessoas condenando. “Como seria possível todo o povo (judeu) estar presente nesse momento para pedir a morte de Jesus?”, questiona o papa teólogo.
De acordo com ele essa errônea interpretação de que todos os judeus condenaram Cristo teve consequências “fatais”, em referência às contínuas acusações de deicídio aos judeus durante séculos, que propiciou sua perseguição.
Bento XVI acrescenta que a “realidade” histórica aparece mais correta nos evangelhos de João e Marcos. E que o verdadeiro grupo de acusadores foram alguns círculos do templo de Jerusalém e a massa que apoiava Barrabás no contexto da anistia pascal.
O Concílio Vaticano II (1962-1965), que lançou à Igreja ao século XXI, promulgou a declaração “Nostra Aetate”, com o fim dos católicos retiraram as acusações de deicídio contra os judeus.
A primeira parte de “Jesus de Nazaré”, de 448 páginas, foi apresentada pelo Vaticano no dia 13 de abril de 2007 e nela o pontífice mostrou um Jesus “real”, e afirmou que Cristo é uma figura “historicamente sensata e convincente”.

Meu comentário sobre a matéria:
Mais uma vez os teólogos da igreja católica, são tardios em suas observações nas escrituras. O povo judeu disse: “sim” para crucificação de Jesus, mas o interessante é que o Papa não mencionou que todo ritual de crucificação foi executado pelos ROMANOS, e nem explicou que o método de execução pela cruz era de costume dos Romanos também, ao contrário o povo Judeu apedrejavam os infratores, enfim ele também se esquece que Deus perdoou aquele povo, Jesus na cruz suas ultimas palavras foram:
“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” Lucas 23:34.
Então ao meu ver, ele o Papa, mais uma vez quer tomar o lugar de Deus em perdoando a quem Deus já Perdoou, se a igreja culpou o povo judeu quase 2 milênios foi por não atentar diligentemente para escrituras:
Erram por não conhecer as Escrituras, e nem o poder de Deus (Mateus 22.29)
R.Falbo

Inforamções Gospel Prime

4 COMENTÁRIOS

  1. Que alegria!
    A Igreja de Cristo, pelo sucessor de Pedro, atual Bento XVI, faz justiça a um povo (como num todo) pela morte de Cristo. A permancer como está, ou seja, todo povo judeu sendo autor da morte de Cristo, teríamos que pergunta:__Como pode ser isto? Os apóstolos não eram judeus? Se um grupo de judeus, doutrinados por Cristo nos trouxe a boa nova, como condendar todo um povo?

    Salve Maria! Mãe de Deus da Igreja!

  2. O Papa Bento XVI, quando anunciou que irá inocentar o povo judeu da morte de Jesus Cristo, reconhece a veracidade das denúncias contidas no livro O Padre Delator (2010), de Paulo Soares. O autor tem estado em permanente contato com o Vaticano desde 1995. Os documentos que comprovam esse contato encontram-se no site: videntedovaticano.com.br. O livro citado foi enviado à Presidenta Dilma Rousseff, juntamente com o manifesto do autor Paulo Soares, apontando a falta de destaque dada ao trabalho deste por parte da imprensa brasileira. Nesse contexto, o anúncio do Papa é a segunda vitória expressiva de Paulo Soares junto a Bento XVI, sendo que a primeira vitória diz respeito ao tratamento dado pela Igreja aos homossexuais.

  3. Afinal quem tem o poder de perdoar quem quer que seja Deus ou o Papa??? Será que o Papa anulou as palavras do Único Deus, em Lucas 23:33 e 34."Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali O crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda. Contudo Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.
    Senhor, misericórdia.

Deixe uma resposta