Cristãos Comemoram a Reportagem da Jornalista sobre `Verdades Falsas do Carnaval`

0

Cristãos Comemoram a Reportagem da Jornalista sobre `Verdades Falsas do Carnaval`

A Jornalista que gerou polêmica com a reporepotargem de um vídeo “Esperando a quarta-feira de Cinzas,” falando sobre as verdades falsas do carnaval,’ e um que postou ontem sobre “o que vem depois do carnaval,” chamou a atenção do público cristão, trazendo elogios à jornalista.
“Graças a Deus existem pessoas fora do meio cristão, que também não apóiam o carnaval, a festa da carne, do desvario e do esbanjamento do dinheiro e serviço público,” postou o pastor metodista José Carmo da Silva em um blog.
A jornalista publicou primeiramente a reportagem polêmica sobre o carnaval, mencionando e questionando a quantidade de dinheiro que é gasto com o festival, as consequências da violência, excesso do consumo de bebida, entre outros. Essa franqueza e coragem na exposição dos comentários, foi motivo de felicitações.
“Parabéns à jornalista Rachel. Além de haver poucas pessoas com coragem para falar certas verdades que o brasileiro precisa ouvir é preciso dizer que são poucas as oportunidades de se divulgar verdades tão flagrantes quanto a que ela afirma. Acordem irmãos brasileiros, o carnaval é (sic.) negócios que interessam a alguns, enquanto isso, o povo que se deleita nessa festa, torna-se alienado, marionete,” disse um blogueiro cristão.
Em seu primeiro vídeo a jornalista abordou as “verdades falsas do carnaval,” citando entre elas que o brasileiro adora o carnaval. Segundo a jornalista, a maioria do povo “não foi para a rua ou por que não gosta de carnaval ou por que não se reconhece mais nessa festa dita popular.”
Uma outra verdade falsa, ela disse que “o carnaval é uma festa genuinamente brasileira.”
Rachel afirmou que a festa é originalmente da “Europa, durante a era viotriana e se espalhou mundo afora.”E mencionou também que o carnaval virou negócio – ‘dos ricos.’
“Milhões de reais são pagos a artistas da terra e fora dela para garantir o circo a uma população miserável que não tem sequer o pão na mesa.”
Entre outras coisas a jornalista comentou sobre a quantidade de ambulâncias disponibilizadas no desfile de carnaval “para atender aos bêbados de plantão e valentões que se metem em brigas e quebra quebra.”
E questionou, “Onde estão essas mesmas ambulâncias quando uma mãe de família precisa socorrer um filho doente? Quando um trabalhador está infartando?”
Falando sobre os lucros ela afirmou que o carnaval somente dá lucro para “donos de cervejaria, proprietários de trios elétricos e artistas baianos…”
“Alguém já parou para calcular o quanto o estado gasta para socorrer vítimas de acidentes causados por foliões embriagados? Quantos milhões são pagos em indenizações por morte ou invalidez decorrentes desses acidentes?”
E finalmente, terminado o carnaval, a jornalista postou um outro vídeo entitulado “o que vem depois do carnaval?” nesta última quarta-feira.
“Antes tarde do que nunca, finalmente, é quarta-feira de cinzas. Agora sim, três meses depois do Reveillon o ano vai começar… agora que o efeito enebriante do carnaval já passou é hora de viver a vida real…” disse ela.
E completou, “agora sim é hora de encarar o irrisório salário mínimo, hora de prestar contas com o mais faminto leão da receita, o fim das pensões vitalícia para os ex-governadores, … é hora de estimular a economia, combater as diferenças sociais, combater o crime, a impunidade … agora que o carnaval terminou que tal tentar fazer do Brasil o país da verdadeira alegria?”

Rachel urgiu para uma “Alegria que não dure apenas cinco dias. Mas que perdure o ano inteiro. E possa alcançar a todos os brasileiros indistintamente. Porque dependendo do nosso grau de comprometimento ou omissão, o futuro deste país poderá ser de riso ou de lamento.”

Informações The Christian Post ►

Deixe uma resposta