Passa de 500 o número de mortos no Rio; é a maior tragédia do país

1

Passa de 500 o número de mortos no Rio; é a maior tragédia do país

Deslizamento de terra destrói casas em Teresópoli

O número de mortos em consequência das chuvas na região serrana do Estado do Rio de Janeiro chega a 505, de acordo com balanço divulgado pelas prefeituras, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. A assessoria da Prefeitura de Teresópolis divulgou às 9h50 desta sexta-feira (14) que o número de vítimas aumentou para 226. O município supera Nova Friburgo, onde foram registrados 225 óbitos até as 10h20. Em Petrópolis, são 39 mortos. A assessoria de imprensa do município informou nesta manhã que duas pessoas morreram no município de São José do Vale do Rio Preto. Inicialmente, o Corpo de Bombeiros divulgou três vítimas. O mesmo aconteceu na cidade de Sumidouro, onde inicialmente a prefeitura divulgou 19 mortos, e às 10h25 informou que apenas 16 corpos foram encontrados.


Subiu para cinco o número de cidades da Região Serrana com registro de mortes após as chuvas. Ao todo, já são 541 mortos, segundo as prefeituras e o Corpo de Bombeiros de Itaipava.
Segundo os últimos levantamentos, seriam 247 mortos em Friburgo, 231 em Teresópolis, 18 em Sumidouro, 43 em Petrópolis e 2 em São José do Vale do Rio Preto.
(Inicialmente, esta reportagem dizia que havia 20 óbitos em Sumidouro, informação dada pelo próprio prefeito e corrigida, posteriormente, pelo mesmo).
Já a Polícia Civil informou que quatro corpos foram resgatados em São José do Vale do Rio Preto, 242 em Nova Friburgo, 228 em Teresópolis, 41 em Petrópolis e 19 em Sumidouro, o que corresponde a um total de 534 mortos.

Nesta manhã, 225 homens da Força Nacional de Segurança chegaram à Região Serrana do Rio de Janeiro. Eles vão auxiliar nas buscas por vítimas e na manutenção da ordem pública nas áreas atingidas pelos temporais no estado, principalmente em Teresópolis.
Na quarta-feira, o Exército enviou 400 homens, 30 veículos, 2 retroescavadeiras, 2 carregadeiras, 1 gerador, 1 torre de iluminação e 6 helicópteros.
Estradas e energia

Estradas voltaram a ser interditadas na Região Serrana.  Uma queda de barreira interditou nesta sexta-feira a estrada que liga Itaipava à Teresópolis. Motoristas que seguem para Teresópolis estão sendo orientados pela Polícia Militar a retornar para a estrada Rio-Magé.
Mais de 40 mil pessoas seguem sem energia elétrica na Região Serrana. Problema maior é em Nova Friburgo, onde 25 mil pessoas estão sem luz. Em São José do Vale do Rio Preto, a Ampla enviou geradores para suprir a demanda de postos de serviços essenciais.
Tumultos e saques
Teresópolis registrou nesta sexta-feira casos de saques. De acordo com informações da assessoria de comunicação da prefeitura, foram registrados nesta manhã dois assaltos a lojas do Centro, próximas à Calçada da Fama, a mais importante área de comércio da cidade. Comerciantes chegaram a fechar as portas.

O prefeito de Teresópolis, Jorge Mário Sedlacek, anunciou nesta sexta-feira que a reconstrução da cidade custará mais de R$ 500 milhões. Na cidade, há 1200 desabrigados e 1300 desalojados.

new GMCEmbed( { midiaId: 1410631, sitePage: ” } ).print();

Em Nova Friburgo, a queda de uma caixa d’água assustou os moradores. Em pânico, boa parte da população chegou a pensar que uma represa havia rompido. Muitas pessoas correram desesperados pela cidade (veja vídeo ao lado).

Mais um Hospital de Campanha do Corpo de Bombeiros foi montado em Nova Friburgo nesta sexta-feira. Com o hospital de campanha da Marinha que já funcionava, passam a ser dois na região.
Em Petrópolis, equipes de resgate trabalham para conseguir acessar uma localidade isolada, conhecida como Ponto Final, no Vale do Cuiabá, em Itaipava. Há notícias de que lá há 22 pessoas desaparecidas. Para o trabalho, serão utilizados três retroescavadeiras e 60 caminhões.

Maior tragédia da história

Esta já é considerada a maior tragédia climática da história país. O número de vítimas ultrapassou o registrado em 1967, na cidade de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. Naquela tragédia, tida até então como a maior do Brasil, 436 pessoas morreram.
No ano passado, de janeiro a abril, o estado do Rio de Janeiro teve 283 mortes, sendo 53 em Angra dos Reis e Ilha Grande, na virada do ano, 166 em Niterói, onde se localizava o Morro do Bumba, e 64 no Rio e outras cidades atingidas por temporais em abril. Em SP, durante o primeiro trimestre de 2010, quando a chuva destruiu São Luiz do Paraitinga e prejudicou outras 107 cidades, houve 78 mortes. Os números da Região Serrana do RJ superam ainda os de 2008 em Santa Catarina, com 135 mortes.
Veja outras notícias relacionada com as enchentes e vítimas do Rio de Janeiro e São Paulo:

  1. Igreja Universal se mobiliza para ajudar vítimas das chuvas no Rio de JaneiroNovo !!
  2.  Vitimas do Rio e São Paulo – Saiba como judarNovo !!
  3. Mulher é resgatada durante enchente na região serrana do Rio de JaneiroNovo !!

Fonte: G1 Globo.comO número de mortos em consequência das chuvas na região serrana do Estado do Rio de Janeiro chega a 505, de acordo com balanço divulgado pelas prefeituras, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. A assessoria da Prefeitura de Teresópolis divulgou às 9h50 desta sexta-feira (14) que o número de vítimas aumentou para 226. O município supera Nova Friburgo, onde foram registrados 225 óbitos até as 10h20. Em Petrópolis, são 39 mortos. A assessoria de imprensa do município informou nesta manhã que duas pessoas morreram no município de São José do Vale do Rio Preto. Inicialmente, o Corpo de Bombeiros divulgou três vítimas. O mesmo aconteceu na cidade de Sumidouro, onde inicialmente a prefeitura divulgou 19 mortos, e às 10h25 informou que apenas 16 corpos foram encontrados.

Em Teresópolis, 1.200 pessoas estão desabrigadas e 1300 desalojadas. Entre os bairros mais atingidos estão Caleme e Campo Grande, na zona urbana. Na Posse, a situação também está crítica. Em Bonsucesso, na zona rural do município, foi encontrado o maior número de corpos, 40.

O número de desabrigados e desalojados na região serrana ultrapassa 10 mil.

Veja fotos da tragédia

– Esse é o maior desastre de toda a história de Teresópolis. O número de vítimas pode aumentar. Nossa maior dificuldade é a questão do acesso. Ao todo, são mil homens trabalhando – disse o chefe da Defesa Civil do município, Flávio Castro.

A presidente Dilma Rousseff assinou, na quarta-feira (12), a medida provisória que libera R$ 780 milhões em créditos extraordinários para os municípios afetados pelas fortes chuvas que atingiram o Rio de Janeiro, São Paulo e outras localidades. Nesta quinta-feira (13) a presidente sobrevoou as áreas atingidas na região serrana, se reuniu com prefeitos e ministros na prefeitura de Teresópolis e garantiu um repasse de verba de R$ 11 bilhões, em uma coletiva na capital do Estado.
Problemas antigos

A população das localidades de Benfica e Vale do Cuiabá, em Itaipava, distrito de Petrópolis, na região serrana do Rio, está acostumada a sofrer com a força das chuvas. Quem mora próximo ao rio Santo Antônio sente mais os efeitos das cheias. No entanto, os relatos dos sobreviventes dizem que nunca a água chegou ao nível que alcançou desta vez.

Nério da Costa Mesquita, de 83 anos, alugava uma casa em Benfica e perdeu tudo. Só lhe restou a roupa do corpo.

– Começamos a levantar as coisas, mas não imaginamos que a água fosse subir tanto. Foi muita água. Agora tenho de esperar, sem água [para beber], sem mantimento, sem nada.

O proprietário da casa de Mesquita, Nilson Moreira de Macedo, que mora no mesmo terreno, também mantinha uma oficina na área. Ele perdeu o local onde morava e todos os objetos de trabalho.

– Não afetou só minha casa, mas o local de trabalho. Moro aqui há 35 anos. Nunca vi nada assim.

Saiba como e onde fazer doações

O Hemorio (Instituto Estadual de Hematologia do Rio de Janeiro) informou que precisa de cerca de 300 bolsas de sangue para enviar para a região serrana, principalmente Teresópolis e Nova Friburgo. Segundo a assessoria do instituto, as cidades atingidas pelas chuvas têm grande número de vítimas que necessitam de transfusão de sangue.

O Hemorio pede para que a população compareça ao hemocentro ou a um dos 26 postos de coleta de sangue no Estado. Segundo o instituto, janeiro é um mês em que, tradicionalmente, o número de doadores cai. Para doar sangue é preciso ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50 quilos, estar bem de saúde e trazer um documento oficial de identidade, com foto. Entre a triagem e a doação, todo o processo leva cerca de uma hora.

O Hemorio fica na rua Frei Caneca, 8, no centro. O horário de funcionamento é das 7h às 18h, todos os dias, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Para mais informações, o hemocentro oferece o 0800-282 0708 para tirar dúvidas e agendar horário para a doação.Visite: Amigo De Cristo, Videos Amigo De Cristo

1 COMENTÁRIO

  1. Olá irmão!

    Boa tarde!

    Paz e graça de Jesus Cristo!
    Você se lembrou de mim? Sou ex-blogueiro do blog "Atleta de Cristo Gustavo Reis" cujo foi extinto.
    Quanto tempo não vi você!

    Eu sempre li as notícias sobre estas enhcentes… onde posso doar minhas coisas? Sou do estado de São Paulo.

    Ei, o seu HTML e CSS estão me chamando a atenção. POr acaso, você é designer gráfico e web designer? Eu percebi que você é muito em HTML e CSS por causa de um pássaro animado voando e por causa de vídeos e apresentação de imagens que você colocou como HTMLs personalizados no seu site.

    Pois sou designer gráfico freelancer e sou estudante de administração e web deisgn. Estou projetando um blog para minha mãe. Tenho dificuldade porque o HTML do blog da minha mãe é muito novo e mudou, é diferente do HTML antigo que era fácil, mas não vou voltar ao antigo modelo por ele não ter como eu aumentar as larguras da postagem e da barra. Não consegui centralizar a imagem.

    Não sei se você pode me ajudar, irmão. Como você colocou esse pássaro animado voando sobre este site e colocou a apresentação e os vídeos de G1 nesta postagem?

    Mande-me por e-mail: gusrejc at gmail dot com.

    Deus te abençoe!

    Gustavo Reis

Deixe uma resposta