Como “trazer de volta” os jovens que deixaram a fé e a Igreja?

0

Como “trazer de volta” os jovens que deixaram a fé e a Igreja?

Pesquisas e levantamentos mostram que muitos ateus, agnósticos e pessoas que não tem afiliação religiosa são ex-cristãos. Mas não havia nenhum livro baseado em pesquisa que explicasse em profundidade porque as pessoas se desviam.

O artigo abaixo retrata a realidade protestante e americana destes jovens e oferece algumas dicas interessantes.
O livro Generation Ex-Christian (A geração dos ex-cristãos), lançado recentemente por Drew Dyck, gerente editorial da equipe do ministério em Christianity Today International, divide o “abandono” da igreja em seis categorias: abandono pós-moderno, recoilers, abandono moderno, neo-pagãos, rebeldes e indecisos.

Essas categorias foram formadas após Dyck entrevistar cerca de 100 pessoas. “Eu não sou um sociólogo ou estatístico, mas sabia que como jornalista poderia trazer algo acerca desta questão através da introdução de pessoas e de histórias por trás das estatísticas. Apenas fornecer os perfis desses, que eu chamo de ‘abandono’, destes que com 20 e poucos anos ou no início dos seus 30 anos se afastaram da fé. E em seguida, fornecer algum tipo de dica sobre como engajá-los em conversas sobre Deus que acabará por trazê-los de volta”.

As categorias

Embora se saiba muito sobre os desafios em atingir um público pós-moderno e moderno com o evangelho, pouco ou nada foi dito sobre as outras quatro categorias no livro Dyck.

O recoilers não são facilmente identificáveis como uma categoria de abandono porque tendem a evitar falar sobre sua infância dolorosa ou suas experiências de adolescente com a igreja, que são os principais motivos por que deixaram a fé.

Se pressionado para explicar por que deixaram a fé, muitos encontrarão razões intelectuais para guardarem suas razões emocionais, escreve Dyck.

“Para uma criança que sofre algum tipo de abuso, os danos espirituais resultantes podem assombrar a pessoa por toda a vida. Tal é o caso de muitos recoilers – muitas vezes eles tiveram algum tipo de abuso em nome de Deus. Eles tornaram-se desiludidos com a fé, porque as pessoas que consideravam santas lhes decepcionaram”, explica o autor no livro.

Se alguém descobrir um recoiler, deve concentrar-se em ouvir a história da pessoa e mostrar empatia com sua dor. É importante estabelecer uma amizade e ganhar a confiança deles, Dyck escreve, e ajudá-los a se reconciliarem com Deus diante do seu povo.

Entre os que abandonam, considerados da categoria neo-pagãos, o autor destaca Wicca, que é a religião que mais cresce nos Estados Unidos. De todas as categorias, segundo relatórios de Dyck, os neo-pagãos têm “a mais forte reação emocional à fé cristã”.

Wiccans têm sentimentos negativos em relação aos cristãos, porque eles têm sido repetidamente retratados pelos fiéis como adoradores de Satanás e acusado de sacrificar animais, além de rumores de assassinato de bebês.

Dyck disse que o primeiro passo para ter um relacionamento significativo com os Wiccans é desarmar seus sentimentos negativos, mostrando familiaridade com as suas crenças básicas e perguntando-lhes o que os atraiu para a Wicca e quais os problemas que eles têm com o cristianismo.

“Ao chegar aos neo-pagãos, comece mostrando uma valorização da natureza e o desejo de protegê-la, ao mesmo tempo direcionando-os para Deus, de que a natureza é um reflexo grande”, escreve Dyck

Além disso, os neo-pagãos são atraídos para a espiritualidade, por isso é útil para os cristãos não serem tímidos para falar sobre as suas experiências espirituais.

Os indecisos, entretanto, são os cristãos cuja fé nunca foi tão profunda. Como o próprio nome sugere, se afastaram sem aviso prévio. Eles não argumentam contra o Cristianismo e não tem bagagem emocional a partir da fé. Eles ainda se identificam como cristãos, mas sua vida em nenhuma maneira reflete um compromisso com Cristo. Eles são o tipo que se misturam, vão com o fluxo.

Além disso, é bom para os indecisos formarem laços intergeracionais dentro da igreja, em vez de somente se associarem com o grupo de jovens.

Na entrevista com o Christian Post, Dyck disse que considera o mais difícil para trazer de volta a Jesus Cristo é o rebelde espiritual. “São aqueles que têm dificuldade em aceitar a autoridade divina de Deus. Eles não têm uma objeção intelectual, mas um problema de coração”, observa Dyck. A única sugestão que ele tem para alcançar os rebeldes espirituais é orar muito por eles, e formar relacionamentos com essas pessoas.

O outro tipo de rebelde é aquele que gosta de festa. Este tipo de rebelde não tem um problema intelectual ou emocional com a fé, mas simplesmente se recusam a obedecer à moral cristã.

“Muitos jovens estão indo embora, não só da igreja, mas de sua fé. E eu não acho que eles vão voltar automaticamente”, disse Dyck.

O autor sugere aos membros mais velhos da igreja para construir relacionamentos com os jovens. “Muitas vezes o que eu achei foi que a ruptura de sua fé veio no contexto de relações, algo deu errado com um jovem pastor, um pai, ou alguma autoridade espiritual”.

Veja outros artigos relacionados com Jovens e a fé:

Jovens desviados bate recorde nos EUA

Então, jovens de 20 a 30 e poucos anos estão abandonando a , mas por quê? “

Quando pergunto às pessoas da igreja, recebo alguma variação …

Fonte: Christian Today / via Blog do Carmadélio
Visite: Amigo De Cristo, Videos Amigo De Cristo

Deixe uma resposta