MEC irá distribuir KIT GAY nas escolas para crianças de 7 a 10 anos

3

MEC irá distribuir KIT GAY nas escolas para crianças de 7 a 10 anos

O MEC irá distribuir kit gay conterá um DVD com uma história onde um menino vai ao banheiro e quando entra um colega, ele se diz apaixonado pelo mesmo e assume sua homossexualidade, se dizendo Bianca. Veja vídeo e matéria completa a respeito deste tema, no mínimo estranho, polêmico.
O deputado Jair Bolsonaro (RJ) reage de forma veemente, em plenário, a essa vergonha que foi firmada em um convênio entre o Ministério da Educação (MEC), com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e a ONG Comunicação em Sexualidade (Ecos), conforme publicou o Correio Braziliense.
REPORTAGEM DO CORREIO BRAZILIENSE
Kit Gay para alunos conterá um DVD com uma história aonde um menino vai ao banheiro e quando entra um colega, se diz apaixonado pelo mesmo e assume sua homossexualidade
MEC vai distribuir KIT GAY nas Escolas

Ele ainda nem foi lançado oficialmente. Mas um conjunto de material didático destinado a combater a homofobia nas escolas públicas promete longa polêmica. Um convênio firmado entre o Ministério da Educação (MEC), com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e a ONG Comunicação em Sexualidade (Ecos) produziu kit de material educativo composto de vídeos, boletins e cartilhas com abordagem do universo de adolescentes homossexuais que será distribuída para 6 mil escolas da rede pública em todo o país do programa Mais Educação.
Parte do que se pretende apresentar nas escolas foi exibida ontem em audiência na Comissão de Legislação Participativa, na Câmara. No vídeo intitulado Encontrando Bianca, um adolescente de aproximadamente 15 anos se apresenta como José Ricardo, nome dado pelo pai, que era fã de futebol. O garoto do filme, no entanto, aparece caracterizado como uma menina, como um exemplo de um travesti jovem. Em seu relato, o garoto conta que gosta de ser chamado de Bianca, pois é nome de sua atriz preferida e reclama que os professores insistem em chamá-lo de José Ricardo na hora da chamada.
O jovem travesti do filme aponta um dilema no momento de escolher o banheiro feminino em vez do masculino e simula flerte com um colega do sexo masculino ao dizer que superou o bullying causado pelo comportamento homofóbico na escola. Na versão feminina da peça audiovisual, o material educativo anti-homofobia mostra duas meninas namorando. O secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do MEC, André Lázaro, afirma que o ministério teve dificuldades para decidir sobre manter ou tirar o beijo gay do filme. “Nós ficamos três meses discutindo um beijo lésbico na boca, até onde entrava a língua. Acabamos cortando o beijo”, afirmou o secretário durante a audiência.
O material produzido ainda não foi replicado pelo MEC. A licitação para produzir kit para as 6 mil escolas pode ocorrer ainda este ano, mas a previsão de as peças serem distribuídas em 2010 foi interrompida pelo calor do debate presidencial. A proposta, considerada inovadora, de levar às escolas públicas um recorte do universo homossexual jovem para iniciar dentro da rede de ensino debate sobre a homofobia esbarrou no discurso conservador dos dois principais candidatos à Presidência.
O secretário do MEC reconheceu a dificuldade de convencer as escolas a discutirem o tema e afirmou que o material é apenas complementar. “A gente já conseguiu impedir a discriminação em material didático, não conseguimos ainda que o material tivesse informações sobre o assunto. Tem um grau de tensão. Seria ilusório dizer que o MEC vai aceitar tudo. Não adianta produzir um material que é avançado para nós e a escola guardar.”
Apesar de a abordagem sobre o adolescente homossexual estar longe de ser consenso, o combate à homofobia é uma bandeira que o ministério e as secretarias estaduais de educação tentam encampar. Pesquisa realizada pelas ONGs Reprolatina e Pathfinder percorreram escolas de 11 capitais brasileiras para identificar o comportamento de alunos, professores e gestores em relação a jovens homossexuais. Escolas de Manaus, de Porto Velho, de Goiânia, de Cuiabá, do Rio, de São Paulo, de Natal, de Curitiba, de Porto Alegre, de Belo Horizonte e de Recife receberam os pesquisadores que fizeram 1.406 entrevistas.
O estudo mostrou quadro de tristeza, depressão, baixo rendimento escolar, evasão e suicídio entre os alunos gays, da 6ª à 9ª séries, vítimas de preconceito. “A pesquisa indica que, em diferente níveis, a homofobia é uma realidade entendida como normal. A menina negra é apontada como a representação mais vulnerável, mas nenhuma menina negra apanha do pai porque é pobre e negra”, compara Carlos Laudari, diretor da Pathfinder do Brasil.

Com informações Click Gospel / Correio Braziliense
Visite: Amigo De Cristo, Videos Amigo De Cristo

3 COMENTÁRIOS

  1. Sou deísta, portanto não há nenhum dogma implícito na minha opinião.
    O que está acontecendo é um absurdo! Tantas coisas relevantes estão sendo deixadas de lado: a saúde, a educação… Ser gay é assunto subjetivo. E tem mais: ao permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, vai aumentar a violência. O pessoal que tem comportamento diferente, gosta de aparecer: vão querer ficar se beijando em público, e isso não vai dar certo…
    Quando as autoridades perdem a vergonha, o povo tem o direito de perder o juízo…

  2. Pode até ser forte a imagem dos dois garotos trocando selinho mas creia isso ocorre e há até singeleza.Meus queridos é um combate ao bullying em virtude de preconceito homofóbico não uma incitação ao sexo homossexual.Respeitar a sexualidade do outro é o primeiro passo para civilidade.Respeito profundamente a crença de todos e a dos senhores também. Eu tenho o maior apreço pelos evangélicos e católicos porém não concordo com essa postura de dar interpretação falsa aos fatos como neste caso sugerir que uma campanha de cunho educacional intitulada escola sem homofobia tem por objetivo promover a prática homossexual insentivando os alunos a serem gays e moldando-os a tolerarem que outros façam o mesmo sem serem censurados mas negando que essa é uma condição inerente a cada um.A intolerancia é inadmissível e a descriminação deplorável.A escola deve ser um local de convívio pacífico e não de hostilizações por opiniões formadas sem reflexão com fundo de segregação baseado no entendimento pré-fabricado do ser humano superior ou inferior. A campanha é importante pois tentará desconstruir a ideia causadora do preconceito que gays devem ser rebaixados pelo simples fato de serem homossexuais.E é necessário iniciar CEDO pois os resultados são melhores.

  3. "Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome." (Gênesis 2 : 19)

Deixe uma resposta