Guerra na Assembleia de Deus envolve denúncias de corrupção e vira caso de polícia e justiça

12

Guerra na Assembleia de Deus envolve denúncias de corrupção e vira caso de polícia e justiça

Insatisfação com a nova administração do pastor Samuel Câmara (Foto ao lado) levou fiéis da Assembleia de Deus de São José dos Campos a procurar ajuda judicial.

Uma igreja em pé de ‘guerra’. Na tarde de ontem, pela segunda vez em três dias, fiéis da igreja Assembleia de Deus de São José dos Campos se negaram a cumprir uma ordem judicial que determina que a presidência da igreja matriz da denominação seja transferida para uma junta de pastores, representados por Antônio Luis Celani, o antigo pastor .
A história, que envolve a troca de acusações e agressões entre os grupos rivais, teve início há cerca de um ano, quando o pastor Celani deixou o cargo.seu lugar, assumiu o também pastor Samuel Câmara, de Belém (PA).

Mas a insatisfação com a nova administração do templo levou uma parcela dos fiéis a procurar ajuda judicial.

Direta ou indiretamente, essa disputa afeta a atuação das 182 igrejas mantidas pela denominação em São José (subordinadas à matriz), que juntas possuem patrimônio avaliado em R$ 30 milhões (apenas contando imóveis). São 10 mil fiéis.

Justiça

Em outubro, o grupo descontente com a presidência atual acionou a Justiça, que no último dia 17 concedeu liminar determinando o afastamento da atual diretoria. No entanto, ela se nega a deixar a igreja.

No início da tarde de ontem, um grupo de fiéis cercou o pátio da matriz com automóveis. Um oficial de justiça esteve no local, mas, novamente os fiéis, que já ocupavam o prédio, se negaram a sair do templo. Alegando não serem representantes da igreja, disseram não poder assinar a ordem da Justiça.

Cerco

A Polícia Militar foi chamada, mas não entrou na igreja, porque foi surpreendida com o número de pessoas no local. Os fiéis que ocupavam a igreja comemoraram a saída das autoridades com uma oração do lado de fora da igreja.

No domingo, fiéis favoráveis ao retorno de Celani tentaram entrar no templo. Houve confronto com o grupo rival. O tumulto somente foi contido com ajuda da Polícia.

Confira na íntegra  Abaixo a medida cautelar: Fonte Point Rhema blog do Pr Carlos Roberto.

 Caso não consiga visualizar a imagem click no Link a seguir :http://esaj.tj.sp.gov.br/cpo/pg/search.do?paginaConsulta=1&localPesquisa.cdLocal=577&cbPesquisa=NUMPROC&tipoNuProcesso=UNIFICADO&numeroDigitoAnoUnificado=0059954-46.2010&foroNumeroUnificado=0577&dePesquisaNuUnificado=0059954-46.2010.8.26.0577&dePesquisa=&pbEnviar=Pesquisar” TARGET=”_blank”
Leia um trecho da mesma matéria pôlemica divulgada no Blgo Point Rhema.

Lembramos que o Pr. Samuel Câmara tem o direito de se defender, no prazo de 90 dias, a contar da intimação, de acordo com a medida cautelar interposta pelo pastor presidente que entregou a igreja a ele, Antônio Luiz Sellari, acompanhado de uma “Junta de Pastores e Evangelistas“, e que também a decisão é em caráter provisório.


De qualquer maneira, há de se entender também, que a argumentação inicial deve ter sido forte, caso contrário a justiça não apelaria até para a ameaça de aplicação de força coercitiva, em caso de recusa a atendimento da ordenança judicial.

Veja outros artigos realcionado com a Guerra na Assembleia de Deus em São Jojé dos Campos!

Violência na Assembleia de Deus em São José dos Campos

Violência na Assembleia de Deus em São José dos Campos Guerra na Assembleia de Deus em São José dos Campos membros entram em confronto e quatro pessoas ficaram...

 Fonte:Gospel Chanel com informações Fonte Gospel  veja mais informações adicionais sobre o mesmo assunto polêmico, da AD São Jose dos Campos nos sites: O Balido  / como também no Site Fronteira Final – Pr. Antônio Mesquita

Visite: Amigo De Cristo, Videos Amigo De Cristo

12 COMENTÁRIOS

  1. Pastor Luiz Sellari de São José dos Campos está certo em retomar o campo de SJC, deste muitos anos estava ligado á CONFRADESP e ao ministério do Belenzinho.Porque nós da Assembleia de Deus temos uma lei que nos reje é o estatuto da CGADB cap.3 art.V que diz devolver a Igreja que é preside, com o respectivo patrimonio a convenção estadual ou regional quando desejar mudar-se para outra congênere…

  2. Prezamado Pr Jesiel, a paz do Cristo seja contigo!

    Gostaria de manifestar minha opinião, assim como os demais Irmãos em Cristo que por aqui já deixaram seus comentários,é perca de tempo da parte de vocês relutar com a matéria acima postada por mim Robeto Falbo, servo do Senhor Jesus, não sigo a homens e nem tenho temor pelos mesmos, mas sim levo minha consciência cativa naquele que me chamou para executar
    sua obra, como mandamento e obrigação (Mt 28:19-20).

    No demais sugiro a todos vocês que orem, para o “Senhor “ tirar do meio de vocês o divisor que esta causando toda essa dissensão, pois na verdade e pelo constrangimento do amor em Cristo que tenho por vós, é o que tenho feito, e acredito que é isso é o que Deus espera de todos que se encontra por ai.

    No entanto estarei fechando essa vã discussão por aqui, não aceitarei que mais nenhum comentário seja feita nessa pagina.
    No amor de Cristo vosso conservo Falbo

Deixe uma resposta