Pastor realiza casamento coletivo de detentos em presídio

0

Pastor realiza casamento coletivo de detentos em presídio

O Instituto Penal de Campo Grande (MS) (IPCG) realiza nesta sexta-feira (19), a partir das 14 horas, um casamento coletivo de internos. No total, sete reeducandos serão casados no civil e no religioso. A cerimônia religiosa será realizada no setor psicossocial do presídio com a celebração do pastor Marcos Ricci, da 1ª Igreja Batista.
Para o casamento civil, todos os procedimentos legais já foram encaminhados e será oficializado com a assinatura dos noivos. A cerimônia será aberta aos familiares dos noivos e cada casal terá direito a dois convidados. Após a cerimônia será realizada uma confraternização.
 
Conforme a assistente social do IPCG, Elza Souza Silva, o casamento coletivo é resultado de um projeto acadêmico realizado por uma estagiária de serviço social que conta com a parceria do pastor da 1ª Igreja Batista. “O pastor já realiza trabalhos como esse em outros locais como o Presídio de Trânsito e tem uma vasta experiência, já que conta com uma casa de apoio para os egressos”, explica.
 
Elza Souza Silva explica ainda que para a realização do casamento, o grupo de trabalho realizou no primeiro semestre uma triagem com entrevistas com os internos para verificar a vontade de legalizar a união. “Verificamos se realmente havia um histórico de união estável”, informa. Todas as despesas com a documentação foram custeadas pelos noivos.
A iniciativa segundo a assistente social do IPCG tem como objetivo “a valorização dos laços familiares e da segurança afetiva, importantes ferramentas no incentivo à autoestima e à ressocialização”. Ela ressalta ainda que a instituição familiar traz um sentimento diferente para os casais. “É a valorização da pessoa que com a situação legalizada têm um sentimento de bem estar”, completa.
 
Na semana passada, os reeducandos participaram de uma palestra na unidade penal com o pastor Marcos Ricci sobre a valorização da família, valores éticos e morais e a importância do sacramento do matrimônio. O mesmo também foi feito com as esposas.
 

Para o diretor do IPCG, Tarley Candido Barbosa, o casamento coletivo é um dos resultados de um trabalho que vem sendo realizado na unidade penal e que tem três pilares para a ressocialização dos reeducandos. “Aqui temos o trabalho para os internos, a educação que é exemplo para o país e a religião, onde montamos um grupo de trabalho que junto com os setores de serviço social e psicologia orientam os reeducandos. Com certeza é um meio de integração da família e que diminui riscos de reincidência”, avalia.
 
Fonte: MidiaMaxNews via: www.guiame.com.br

Veja outras noticias relacionada a Presídio e detentos: 

Pr. Marcos Pereira ajuda a acabar com Rebelião em presídio

Pastor Marcos Pereira ajuda a acabar com Rebelião em presídio Após 40 minutos de culto liderado pelo Pastor Marcos Pereira, às 12h15 os detentos liberaram os outros três…

Presas são transformadas pela Bíblia

No dia 23 de junho, a SBB realizou doação bíblica para a biblioteca da Penitenciária Feminina do Butantã, na Zona Oeste da capital paulista. O presídio abriga cerca…

Detentos americanos se formam em teologia

Durante três anos eles aprendem como ser um líder e como plantar igrejas Não existem prisões para aqueles que querem aprender mais a respeito da Palavra de Deus….

Deixe uma resposta